terça-feira, 28 de dezembro de 2010

O Espírito do Natal


Estava o Senhor Teotónio, que era rico, muito gordo e grande fumador de charutos, a carregar o carro com os presentes que passara a manhã a comprar para os filhos, para os sobrinhos e para as muitas pessoas com quem fazia negócios, quando se aproximou dele um homem pobre, idoso e magro, que prontamente obteve dele esta resposta:
— Comigo não perca tempo porque não tenho dinheiro trocado, nem alimento falsos mendigos.
— Mas eu não lhe pedi nada — respondeu o homem idoso serenamente, com um sorriso que desarmou o Senhor Teotónio e a sua bazófia de novo-rico.
— Então se não me quer pedir nada, por que motivo está tão perto de mim enquanto eu carrego o meu carro? — perguntou o Senhor Teotónio entre duas baforadas de charuto que fizeram o homem idoso e magro tossir convulsivamente.
— Estou aqui, meu caro senhor — respondeu ele, já refeito da tosse — para tentar perceber o que as pessoas dão umas às outras no Natal.
— Com que então — concluiu ironicamente o Senhor Teotónio, grande construtor civil com interesses de norte a sul do País — temos aqui um observador! Deve ser, certamente, de uma dessas organizações internacionais que nós pagamos com o nosso dinheiro e que não sabemos bem para que servem.
— Está muito enganado. Mas já agora responda à minha pergunta: o que é que as pessoas dão umas às outras no Natal? — insistiu o homem pobre, idoso e magro.
— Bem, se quer mesmo saber, eu digo-lhe. Quem tem posses como eu pode comprar uma loja inteira, deixando toda a gente feliz, a começar nos comerciantes e a acabar nas pessoas que vão receber os presentes. Quem é pobre como você fica a assistir. Percebeu a diferença? O homem magro e idoso reflectiu uns instantes sobre a resposta seca e sarcástica do Senhor Teotónio e depois respondeu-lhe com uma nova pergunta:
— Então e o espírito do Natal?
— O que vem a ser isso do espírito do Natal? — quis saber, cheio de curiosidade, o Senhor Teotónio.
— O espírito do Natal — respondeu o homem idoso e magro — é aquilo que nos vai na alma nesta altura do ano e que está muito para além dos presentes que damos. Para muitas pessoas, o melhor presente pode ser um telefonema, uma carícia ou um telefonema quando se está só.
— Era só o que me faltava agora — desabafou, enfastiado, o Senhor Teotónio, enquanto arrumava os últimos presentes na mala do automóvel — ter agora um filósofo, ainda por cima vagabundo, para aqui a debitar sentenças.
O homem magro e idoso afastou-se do carro, mostrando que não queria esmolas nem qualquer outra coisa que lhe pudesse ser dada pelo Senhor Teotónio, e encaminhou-se para um grupo de crianças que o esperavam.Quando o Senhor Teotónio passou por eles no carro, ouviu uma voz de criança a dizer:
— Vamos, Espírito do Natal, porque hoje ainda temos muito que fazer. Dizendo isto, o grupo ergueu-se no ar a esvoaçar com destino incerto, largando um pó luminoso enquanto ganhava altura no céu cinzento de Dezembro.

José Jorge Letria
A Árvore das Histórias de Natal
Porto, Ambar, 2006
adaptado

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Um Santo e Feliz Natal


Albanês - Gezur Krislinjden
Alemão - Frohe Weihnachten
Arménio - Shenoraavor Nor Dari yev Pari Gaghand
Bretão - Nedeleg laouen
Catalão - Bon Nadal
Coreano - Chuk Sung Tan
Croato - Čestit Božić
Espanhol - Feliz Navidad
Esperanto - Gajan Kristnaskon
Finlandês - Hyvää joulua
Francês - Joyeux Noël
Grego - Kala Christougena
Magyar - Kellemes Karácsonyt
Inglês - Merry Christmas
Italiano - Buon Natale
Japonês - Merii Kurisumasu (modificação de merry xmas)
Mandarim - Kung His Hsin Nien
Neerlandês - Vrolijk Kerstfeest
Norueguês - God Jul
Occitan - Buon Nadal
Polaco - Wesołych Świąt Bożego Narodzenia
Português - Feliz Natal
Romeno - Crăciun fericit
Russo - С Праздником Рождества Христова S prazdnikom Rozhdestva Khristova
Tcheco - Klidné prožití Vánoc
Sueco - God Jul
Ucraniano - Srozhdestvom Kristovym


quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Árvore de Natal cheia de valores

Paz
União
Alegrias
Esperanças
Amor ... Sucesso
Realizações .... Luz
Respeito .... Harmonia
Saúde Amizade Pureza
Felicidade ... Solidariedade
Confraternização ... Afecto ... Humildade
Sabedoria ... ... Perdão ... ... Família
Igualdade ... ... ... Liberdade ... ... ... Boa sorte
Sinceridade ... ... ... Estima ... ... ... Fraternidade
Equilíbrio ... ... ... ... Dignidade ... ... ... Benevolência
Fé . Bondade . Paciência . Gratidão . Força
Tenacidade
Prosperidade
Reconhecimento

As tradições de Natal, de forma breve



O presépio e os anjinhos. As rabanadas e os sonhos. Meias penduradas na lareira, para quem a tem, e uma árvore de Natal a piscar. Símbolos religiosos e outros misturam-se na maior parte das casas portuguesas por esta altura. Tudo para manter mais presente e próximo o Natal.

Ainda que cada vez menos rígidas, as tradições de Natal envolvem habitualmente alguns rituais religiosos, tais como a montagem do presépio, a carta ao Menino Jesus e a Missa do Galo.

A tradição «mandava» que os mais novos tratassem da recolha de material para a criação do Presépio. Entre encenações mais minimais, apenas com os três elementos da Sagrada Família, Menino Jesus, Maria e José, até «grandes produções» que contavam com os Reis Magos, os pastores e as suas ovelhas, os vendedores, o que contava, e ainda conta, é acima de tudo o empenho.

As cartas ao Menino Jesus são cada vez mais escassas. O Pai Natal, bonacheirão americano, passou a dominar as atenções dos mais novos que enchem de pedidos este símbolo natalício que, no final das contas, talvez lhes pareça mais próximo do que um menino com quase 2009 anos, infelizmente...

Depois da consoada, algumas famílias rumam até à Igreja mais próxima para assitir
à missa da meia-noite, a Missa do Galo. Aquele que é o principal acto litúrgico desta época já perdeu muitos dos seus «adeptos» do passado, mas ainda continua a compôr algumas igrejas.

Se na consoada as famílias saboreiam, na maioria, o perú assado ou o bacalhau com todos, a ceia contempla todo a espécie de doces tradicionais desta quadra: filhós, rabanadas, azevias, sonhos, aletria, broas de vários tipos, belhós, coscorões, etc.. Na verdade, com maior ou menor facilidade, juntam-se nas mesas de Natal uma autêntica «montra» de delícias.

Também com o seu lugar reservado nas mesas natalícias está o Bolo-Rei. Apesar de as últimas regras de higiene alimentar terem travado um pouco a tradição da fava e do brinde, estes dois «intrusos» continuam a marcar lugar entre a massa e os frutos cristalizados. Quem acerta no brinde tem direito a um (muito) pequeno brinde. Quem acerta na fava tem a responsabilidade de comprar o próximo bolo-rei.

Tal como em todas estas tradições a abertura dos presentes não foge à regra e oscila muito entre as casas. Se algumas famílias optam por abrir os presentes logo à meia-noite, algumas esperam pela manhã de dia 25 de Dezembro...

Comum a toda a época natalícia é a música. Se em algumas zonas ainda se realizam os míticos cantares de porta a porta, noutras esta tradição já só acontece no dia de Reis, com as Janeiras.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

O verdadeiro Natal...


Vive o teu Natal...


O Patrono dos Presépios



Na noite de Natal de 24 de Dezembro de 1223, São Francisco de Assis recriou pela primeira vez um presépio. Tudo se passou numa gruta na floresta de Greccio, uma pequena aldeia do norte de Itália. O nascimento de Jesus foi recriado com animais verdadeiros. No feno, foi colocada uma imagem do Menino Jesus, ladeada pelas figuras de Maria e José.

Nessa época, a realização de dramas litúrgicos nas igrejas era proibida; por isso, São Francisco teve que solicitar uma autorização especial ao Papa Honório III. Parte das imagens desse presépio, encontram-se actualmente na Basílica de Santa Maria Maior, em Roma.

Uma grande multidão assistiu nesse ano à missa. As velas eram tantas que a floresta ficou iluminada como se fosse dia. A manjedoura, nessa noite, fez as vezes do altar.

No ano seguinte, os habitantes de Greccio, inspirados pela recriação, começaram a reproduzir presépios em grutas e estábulos.

S. Francisco morreu dois anos depois e com o seu desaparecimento a representação do nascimento de Cristo esmoreceu.

No entanto, frades franciscanos continuaram o legado de São Francisco, construindo presépios semelhantes à encenação realizada pelo seu Santo padroeiro, em conventos e igrejas europeias. Em 1986, São Francisco de Assis é reconhecido como Santo padroeiro dos presépios.
Presépio, em hebraico, significa manjedoura de animais.
in Wikipedia

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Dia VERDE, cor da vida e da esperança…


"Tiago era um jovem francês, de família endinheirada, mas tinha um problema: era corcunda. E, por causa da sua graciosa corcunda, os colegas riam-se. Desde criança que brincavam com ele; mas ele não gostava dessas brincadeiras de mau gosto.
Passado algum tempo, fechava-se em casa, com medo de sair à rua, com medo dos olhares dos outros. Ninguém o tratava mal; mas não aceitavam a sua diferença e gozavam com ele.
Um dia, cansou-se da solidão. Comprou um frasco de tranquilizantes. Queria dormir para sempre.
Mas, antes de realizar a sua mortal decisão, quis dar a alguém a oportunidade de realizar a sua esperança. Que fez este jovem? Bateu à porta do hospital e doou os seus olhos.
Ao chegar a casa, antes de tomar os barbitúricos, telefonou ao hospital a informar que já poderiam dispor das córneas dos seus olhos".



Reflexão:

Esta história não se trata de nenhum conto, mas de um facto acontecido há tempos, em França. É por isso que, apesar do que tem de dramático ou chocante, faz-nos pensar...
Dizemos muitas vezes que "não matamos nem roubamos"! Sim... e até pode ser verdade. Mas será que matar é só puxar de uma arma branca ou de um revólver? A forma como às vezes olhamos os outros... não é quase um fuzilamento?
Podemos também não roubar, como dizemos... mas a forma como nos rimos dos outros, dos seus defeitos e dos seus deslizes... não será também uma forma de roubar a sua dignidade?
Os colegas do Tiago, com as suas atitudes, mataram-lhe a esperança de viver e de ser feliz! O jovem, pelo contrário, quis tornar possível a esperança de alguém…
Natal é tempo de ser esperança e não são necessários grandes gestos…

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Dia AZUL, cor do céu e do mar…


Um jovem passeava por uma cidade desconhecida.
De repente, encontrou uma casa comercial com o seguinte anúncio: «A loja da felicidade». Ao entrar, descobriu que, atrás dos balcões, quem atendia eram anjos.
Muito admirado, aproximou-se de um deles e perguntou-lhe:
- Por favor, o que vendem aqui?
Respondeu o anjo:
- Aqui vendemos de tudo.
O jovem aproveitou para fazer uma requisição:
- Então faça o favor de me servir o fim de todas as guerras, o fim de todas as injustiças, muitas toneladas de amizade e de fraternidade, um grande bidão de compreensão entre famílias…
E assim continuou, até que o anjo, muito respeitosamente, o interrompeu e lhe disse:
- Desculpe, mas nós aqui não vendemos os frutos, apenas as sementes!...



Reflexão:


Nos mercados de Deus não se vende a paz feita.
Dá-se a semente, que deve frutificar com o nosso esforço e com a acção do Espírito Santo.
Natal é tempo de fazer sementeira de paz nos campos por onde andamos: em casa, na Escola, na rua, …

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Dia LARANJA, cor da alegria, do entusiasmo, da vitalidade…



Um dia, um camponês apresentou-se à porta de um convento e ofereceu ao irmão porteiro um cacho de uvas:
- Este cacho de uvas é para si, porque sempre me tratou com muita amizade e me ajudou quando precisei. Desejo que este cacho de uvas lhe dê alguma alegria.
O frade porteiro passou a manhã a olhar para o magnífico cacho. A um certo momento, teve uma ideia:
- Por que é que não levo estas uvas ao abade, para lhe dar um pouco de alegria? Pegou no cacho e levou-o ao abade. Mas este lembrou-se que no convento havia um frade idoso e doente e pensou:
«Levo-lhe as uvas e dou-lhe uma grande alegria». E assim fez. Mas o frade doente, com o cacho nas mãos, pensou:
- Levo-o ao irmão cozinheiro, que tanto se sacrifica por nós! E o frade cozinheiro pensou e levou-o ao sacristão. Este, por sua vez, levou-o ao frade mais novo do convento, que o deu a um outro. E, de mão em mão, o saboroso cacho de uvas voltou às mãos do frade porteiro. Assim se concluiu o círculo da alegria!


Reflexão:

Haverá mais alegria em dar ou em receber?
Na lógica dos crentes, há mais alegria no dar. É bem verdade que quando damos e nos damos ficamos mais ricos. Quando não sabemos ou não queremos partilhar aquilo que é nosso, ficamos mais sozinhos e mais egoístas.... Temos mais... mas acabamos por ter menos! Quanto mais se tem... mais se quer ter...; é uma espiral que nunca mais acaba! Não tenhas quaisquer ilusões: É no dar que se recebe...

Nesta época natalícia, esmeremo-nos para dar mais, nem que seja um sorriso, pois Natal é partilhar o que temos de bom pelos outros, para que eles tenham mais vida e mais alegria!

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Dia VERMELHO, cor do fogo, do sangue e do coração…

Fogo é luz e calor!
Sangue dá a vida!
Coração, símbolo do amor!

Raoul Follereau contou este facto:
Ao visitar uma leprosaria, ficou surpreendido ao verificar que um desses leprosos, no meio de tantos “cadáveres” ambulantes, ainda sabia sorrir. Quando perguntou a alguém pelo segredo desse amor à vida, convidaram-no a observar o seu comportamento todas as manhãs.
Follereau viu então que, logo de manhã, o leproso ia sentar-se diante do muro que rodeava a leprosaria e aí ficava à espera. Aguardava até que, a meio da manhã, por detrás do alto muro aparecia o rosto de uma mulher, já enrugado, que lhe sorria. E o homem sorria também.
O rosto da mulher desaparecia, mas o homem já tinha o ânimo necessário para aguentar mais um dia, esperando que, no dia seguinte, o rosto do outro lado voltasse a sorrir.
O leproso explicou-lhe que era a sua mulher. E disse: “Ao vê-la cada dia, sei que ainda estou vivo!”.



Reflexão:

O leproso, no meio dos seus sofrimentos, mantinha-se vivo porque a chama do amor ardia nele e era renovada todos os dias pelo olhar amigo da esposa!
Viver verdadeiramente é sentir-se amado, é sentir-se envolvido pelo calor do afecto, da ternura.
Quando o fogo do amor se apaga, vêm as doenças psíquicas e até físicas… e vem também o desejo de deixar de viver…
Natal é amor!

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Dia AMARELO, cor do ouro.


Ouro é riqueza!

Quando saía, para se pôr a caminho, aproximou-se dele um homem a correr e, ajoelhando-se, perguntou-lhe:
-- Bom Mestre, que devo fazer para alcançar a vida eterna?
Jesus disse-lhe:
-- Por que me chamas bom? Ninguém é bom, senão só Deus. Sabes os mandamentos: Não matarás; não adulterarás; não roubarás; não levantarás falso testemunho; não defraudarás; honrarás pai e mãe.
Ele respondeu-lhe:
-- Mestre, tenho guardado tudo isto desde a minha juventude.
Jesus, olhando para ele, sentiu afeição por ele e respondeu-lhe:
-- Falta-te uma coisa: Vai, vende tudo quanto tens, dá o dinheiro aos pobres e terás um tesouro no céu; depois, vem e segue-me.

Mc 10, 17-21
Reflexão:

1) Sentimentos do homem:
=> Desejava viver para sempre; gostava da vida;
=> Cumpria os mandamentos: amava a Deus e ao próximo;

2) Atitudes de Jesus:
ð Afeiçoou-se ao homem, pelo olhar;
ð Desafiou-o a ser mais perfeito: vida de pobreza, tendo a Jesus como sua riqueza.



O tempo de Natal, nesta sociedade do consumismo, de ter sempre mais e melhores coisas, é para cada um de nós aceitar o desafio ou a aventura de considerar como sua grande riqueza o próprio Jesus Cristo.
Jesus, para os crentes, vale mais do que todo o ouro do mundo!

Cinco dias, cinco cores, cinco reflexões,...




N A T A L
= Nascimento de Jesus =
riqueza, luz, calor, vida, amor, alegria, paz, esperança,…



a) Do latim 'natalis', que deriva do verbo 'nascor, nasceris, natus sum, nasci' e significa nascer, ser posto ao mundo.

b) Como adjectivo, significa também o local onde ocorreu o nascimento de alguém ou de alguma coisa.

c) Como festa religiosa, significa a celebração do nascimento de Jesus, no dia 25 de Dezembro, desde o século IV pela Igreja ocidental e século V pela Igreja oriental.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Portugal é o 14.º país com melhor desempenho na área das alterações climáticas

Num total de 57 países, Portugal é o 14.º com melhor desempenho na área das alterações climáticas, descendo duas posições relativamente ao ano anterior. O "ranking" é um "instrumento inovador que traz maior transparência às políticas climáticas internacionais".
O "ranking" sobre alterações climáticas, avançado esta segunda-feira pela Quercus, juntamente com a organização não governamental de ambiente GermanWatch, revela que Portugal é o 14.º país com um desempenho mais positivo na área das alterações climáticas.



Divulgado, ainda esta segunda-feira, na Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, a decorrer em Cancún, no México, o índice engloba 57 países que, na totalidade, são responsáveis por mais de 90 por cento das emissões de dióxido de carbono associados à energia. Segundo a Quercus, o índice indica que "nenhum país dos considerados pode ser destacado como tendo um desempenho satisfatório no que respeita à protecção do clima".

6 Dezembro, 2010 - 18:50, in site Actualidades.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Para reflectir: "Cântico Negro", de José Régio

video

1 de Dezembro: RESTAURAÇÃO DA INDEPENDÊNCIA

Depois da morte do Rei D. Manuel, O Venturoso, sucedeu-lhe o seu neto D. Sebastião, com apenas três anos. Durante este tempo de menoridade do pequeno rei, o governo foi entregue à sua mãe D. Catarina e, mais tarde, ao tio-avô cardeal D. Henrique.
D. Sebastião com apenas 14 anos, em 1568, assumiu, o nosso governo. Era, porém, um rei ambicioso desejoso de viver momentos heróicos.

Com um poderoso exército de 17 000 homens, tentou conquistar o Norte de África.
Em 1578, o pequeno Rei morreu na batalha de Alcácer Quibir e com ele 7000 homens do seu poderoso exército. O seu corpo nunca foi encontrado.
D. Sebastião morreu sem sucessores.
Sucedeu-lhe o seu tio-avô cardeal D. Henrique, mas, já com muita idade, morreu em 1580, também sem sucessores.

Ao trono, apresentaram-se alguns dos netos de D. Manuel: D. Filipe, II rei de Espanha, D. António Prior do Crato e Dª. Catarina, Duquesa de Bragança eram, pois, os principais sucessores.
Depois de muitas batalhas, foi aclamado em 1581 nas cortes de Tomar D. Filipe II, Rei de Portugal.
Fez várias promessas:
Manter a língua, os costumes e a moeda dos portugueses;
Entregar aos portugueses os cargos todos os cargos de governo de Portugal;
Guardar as riquezas de Portugal.

D. Filipe II até pode ter cumprido as promessas, mas os seus sucessores (Filipe III, Filipe IV) não as cumpriram.

Portugal era obrigado a combater nas batalhas que não eram suas, contra os países europeus mais ricos (Inglaterra, França e Holanda), enquanto estes se ocupavam dos nossos territórios ultramarinos.

Os reis espanhóis passavam cada vez mais pesados impostos.
Os portugueses estavam a ficar fartos disto, por isso começaram a aparecer motins populares por todo o país.
Então, na manhã de 1 de Dezembro de 1640, um grupo de portugueses entrou no Paço da Ribeira, derrotaram a vice-rainha a duquesa de Mântua e mataram o escrivão e traidor do reino Miguel de Vasconcelos.
Aclamaram D. João VI, neto de Dª. Catarina, rei de Portugal.
E assim os portugueses conseguiram o que pretenderam durante 60 anos: ter um reino independente com um rei português!
Adaptado do Livro de História do 6ºano

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Fernando Pessoa morreu há 75 anos


Nome: Fernando António Nogueira Pessoa
Nascimento: 13 de Junho de 1888, em Lisboa
Morte: 30 de Novembro de 1935, (47 anos), em Lisboa
Nacionalidade: português
Ocupação: Poeta e escritor
Movimento literário: Modernismo
Principais obras: Mensagem, Livro do Desassossego
Profissão: Tradutor de correspondência comercial e Contabilista



Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.

Continuamente me estranho.

Nunca me vi nem acabei.

De tanto ser, só tenho alma.

Quem tem alma não tem calma,
Quem vê é só o que vê,

Quem sente não é quem é,

Atento ao que sou e vejo,T

orno-me eles e não eu.

Cada meu sonho ou desejo

É do que nasce e não meu.

Sou minha própria paisagem;

Assisto à minha passagem,

Diverso, móbil e só,

Não sei sentir-me onde estou.

Por isso, alheio, vou lendo

Como páginas, meu ser.

O que segue não prevendo,

O que passou a esquecer.

Noto à margem do que li

O que julguei que senti.

Releio e digo : "Fui eu ?"

Deus sabe, porque o escreveu.

Fernando Pessoa

Algumas frases do poeta para reflexão:
» A maioria pensa com a sensibilidade, eu sinto com o pensamento. Para o homem vulgar, sentir é viver e pensar é saber viver. Para mim, pensar é viver e sentir não é mais que o alimento de pensar.
»Para viajar basta existir.
»A liberdade é a possibilidade do isolamento. Se te é impossível viver só, nasceste escravo.
» Tudo vale a pena quando a alma não é pequena.
» Deus quer, o Homem sonha, a obra nasce.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Filme para reflectir...


O filme The Butterfly Circus ganha o primeiro prémio do concurso The Doorpost Film Project!

Este galardão reconhece os valores de esperança e de dignidade humana , protagonizado por Eduardo Verástegui e pelo jovem australiano Nick Vujicic, que nasceu sem braços e sem pernas.


CLICAR:

sábado, 27 de novembro de 2010

A dignidade da vida humana

in Correio de Coimbra, nº 4343, de 25/11/10


VIGÍLIA PELA VIDA HUMANA

Mensagem e apelo do Bispo de Coimbra

O Papa Bento XVI convoca os católicos do mundo para um encontro a favor da vida humana. O apelo do Santo Padre dirige-se também a nós, cristãos da cidade e de toda a Diocese de Coimbra. Vamos responder ao apelo, organizando na nossa cidade, tal como em Roma, um encontro de oração, louvando a Deus pela maravilha que é a vida humana e pedindo-Lhe que nos ajude a todos a estimá-la. Será na Sé Nova, às 21.30 horas do dia 27 deste mês.

Que loucura a nossa, homens e mulheres do Sé. XXI! Parecemo-nos com aquele condutor que se esfalfa a meter ar no seu pneu, sem ter em conta que ele está furado e em vários lados…

Defendemos a saúde e, felizmente, os avanços da medicina ajudam-nos nesse sentido…Educamos as crianças para a higiene que as preserve de infecções…Praticamos desporto e publicitamos vacinas e mil tónicos …Mas!...

Mas banalizamos o aborto, abandonamos os que “já não produzem”, julgamos aceitável a eutanásia, facilitamos o consumo de estupefacientes…

Tudo isto, porquê? Porque vivemos numa sociedade marcada pelo materialismo e individualismo, em que cada um julga ser senhor de tudo: dos seus haveres, das suas ideias e até senhor da verdade e da própria vida.

Por isso, nós cristãos, que temos de ser o sal da terra, vamos agradecer a Deus a beleza da vida humana, inteligente, livre e amorosa, que é uma cópia da sua vida divina.

Vamos pedir ao Criador da vida que ilumine os legisladores para que corrijam as leis que destroem a vida, como as do aborto e da eutanásia; vamos rezar para que dê força aos casais e aos educadores para que ensinem a respeitar a vida; vamos rogar ao Deus da vida que mude os nossos corações egoístas para que saibamos apreciar e amar a vida dos idosos e dos que têm deficiências, dos atletas e dos doentes…E que nos ajude a acreditar que, se a nossa vida tem agora espinhos, ela é uma peregrinação para uma vida de felicidade sem fim, o céu.

Quem nos indicou o caminho foi Jesus, que é Deus a experimentar as condições do nosso viver e que, no próximo Natal, vamos contemplar como “vida nascente”, Deus feito Menino no calor de uma família.

+ Albino Cleto

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Pedido de ajuda!

Amigos,

Na verdade, venho pedir-vos ajuda, não para mim, mas para a minha prima Cecília. Infelizmente, o azar rondou-lhe a porta e afectou-a com uma doença grave, necessitando urgentemente de um transplante.
A Cecília tem 23 anos e uma vida pela frente. Numa tentativa de reunir esforços, contactar-vos pareceu-me ser, para já, um primeiro contributo, porque, a seguir, procurarei estar nos HUC, na esperança de, quem sabe, deter a cura da Cecília e de outras tantas pessoas na mesma batalha.
Acompanhem-me e passem esta mensagem! Quantos mais numerosos formos, maior será a probabilidade de todos saírem vitoriosos!
Reflictam, mas não tardem!
Ajudem a salvar uma vida, a da Cecília ou de outro doente com leucemia.

Beijinho, Andreia Martins

Local de inscrição e recolha de sangue para dadores de medula óssea:
Todos os dias, das 9h às 12h e das 14h às 17h, no Centro de Histocompatibilidade, dentro dos limites dos HUC, do lado esquerdo, é um edifício de tijoleira e janelas azuis, a que chamam edifício S. Jerónimo.
Condições exigidas:

- Ter idade compreendida entre 18 e 45 anos.

- Não ter menos de 50Kg de peso.

- Nunca ter recebido uma transfusão de sangue.

- Não sofrer de doenças crónicas (Diabetes, hipertensão arterial, outras)

- Não estar inscrito na base de dados de dadores de medula óssea.


PS.: A obter o melhor acolhimento, o seu gesto de solidariedade deverá ser confirmado para o(s) seguinte(s) endereço(s) e contacto(s):


Patrícia Martins
ticha_martins83@hotmail.com 916540301
ou
Andreia Martins drea_tcm@hotmail.com 924202278
enviado por email

BACF

Campanha Nacional de Recolha de Alimentos
BANCO ALIMENTAR CONTRA A FOME
27 e 28 de Novembro
Participa!
Ajuda a ajudar!

Campanha do Banco Alimentar contra a Fome

O Banco Alimentar Contra a Fome volta a apelar à generosidade dos portugueses através de uma nova campanha de recolha de alimentos, no fim-de-semana de 27 e 28 de Novembro.


A maior acção de voluntariado organizada no nosso País irá mobilizar aproximadamente 20 mil pessoas e vai contribuir para a alimentação de mais de 245 mil pessoas, com comprovadas necessidades, através de 1.618 instituições de solidariedade social acompanhadas ao longo de todo o ano pelos 14 Bancos Alimentares que as abastecem.


Colabora no nosso concelho! Ajuda a ajudar!

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Para reflectir: Confia...


Confia...

As coisas acontecem na hora certa.

Exactamente quando devem acontecer!
Momentos felizes, louva a Deus.
Momentos difíceis, procura Deus.
Momentos silenciosos, adora Deus.
Momentos dolorosos, confia em Deus.
Cada momento, agradece a Deus.

enviado por email

domingo, 21 de novembro de 2010

Reflexão: "Faz de mim um televisor"

No dia Mundial da Televisão, vale a pena reflectir:

Senhor, não quero pedir-Te nada de especial nem difícil, como fazem outras crianças.

Hoje quero pedir-Te um grande favor, sem que os meus pais se apercebam.


Faz de mim um televisor, para que os meus pais se interessem por mim como se interessam pelo televisor, para que olhem para mim com o mesmo interesse com que a minha mãe acompanha a sua novela preferida, ou o meu pai o jogo de futebol; quero falar como essas pessoas, porque quando elas falam, toda a minha família se cala para as escutar.


Desejo ver a minha mãe dar tantos suspiros à minha frente como faz quando olha para os desfiles de moda. Quereria que o meu pai se risse tanto comigo como faz quando acompanha um programa cómico na TV.


Se acreditassem em mim quando lhes conto alguma coisa como acreditam na televisão, diriam: «Está certo! Vi isso na televisão!»


Desejaria ser um televisor para ser o rei da casa, para me tornar o centro das atenções, para ocupar o melhor lugar, para que todos os olhares se voltassem para mim.


Desejaria que os meus pais se preocupassem comigo como se preocupam quando o televisor avaria. Chamam imediatamente o técnico.


Desejaria fazer companhia à minha mãe quando ela se sente sozinha, quando se sente triste. Gostaria de estar tanto tempo com ela como o que ela concede à televisão.


Gostaria de ser televisor para ser amigo dos meus pais e a pessoa mais importante para eles.


Ó pai celestial, se me transformasses em televisor, eu poderia ter outra vez pais, e ser outra vez feliz.


Por favor, Pai, faz de mim um televisor.


Ámen.
enviado por email

Os jovens e a TV...


Se eu tivesse de escolher um único conselho aos pais com filhos pequenos, a minha opção seria esta: reduzam ao máximo o tempo que os vossos filhos passam a ver TV.
E isto significa: não colocar aparelho de televisão no quarto; não colocar aparelho de televisão na cozinha; impedir que os filhos pequenos vejam programas violentos ou carregados de imagens sexuais; durante o tempo de estudo da criança ninguém vê TV em casa.

Há vários anos que Ramiro Marques escreve sobre o tema:

Ramiro Marques in http://www.profblog.org/, 28-02-10

Cuidado com o televício - 21 de Novembro: Dia Mundial da Televisão


Quando, em 1883, Paul Nipkow transformou uma imagem em numerosos impulsos eléctricos, não imaginava que a sua invenção ia mudar o mundo. O jovem alemão tinha iniciado a pré-história da televisão.

As primeiras transmissões de imagens à distância foram conseguidas pelo inglês John L. Baird em 1920. As suas experiências foram melhoradas em 1924. Entretanto, em 1923, Vlademir K. Zworykin, um russo-americano, havia dado o passo seguinte ao inventar o iconoscópio.
As primeiras emissões televisivas regulares iniciaram-se na Alemanha em 1935. Os americanos começaram as transmissões a cores em 1954.

O fabrico de televisores em larga escala começou depois da Segunda Guerra Mundial. Em 1950 havia uns dez milhões de aparelhos a preto e branco. Nesse ano, os telespectadores norte-americanos rondavam os cinco milhões.
A RTP começou a emitir regularmente a partir de 7 de Março de 1957. As emissões experimentais tinham começado em Setembro de 1956 em Lisboa. A cor foi introduzida a partir de 1980.

Um espaço único...

As transmissões televisivas depressa destronaram a rádio como meio de comunicação e de entretenimento. A imagem sobrepôs-se assim ao som.
Graças à TV, foi possível seguir em directo os primeiros passos de Neil Armstrong na Lua, e testemunhar os grandes dramas e conquistas da humanidade.
A TV é barata e está à distância do botão de um comando electrónico. Companheira de quem vive só, é difícil imaginar o dia-a-dia sem a televisão.

O televisor é, de facto, a nossa janela aberta ao mundo. Traz-nos em tempo real imagens dos quatro cantos da Terra. Faz-nos vibrar com os avanços históricos e sofrer com as vítimas de catástrofes. Transforma-nos em cidadãos da aldeia global, vizinhos de todos os povos.
A TV traz para a nossa sala de estar a informação, o espectáculo, o desporto, o comércio, a cultura, a ciência.
Através da televisão conhecemos os mundos mais distantes e as mais variadas culturas. E, graças à TV, tornamo-nos mais solidários e comprometidos com a melhoria do mundo em que vivemos.

... de contrastes

Mas a TV também tem o seu lado negro, apesar de hoje só transmitir a cores.
A caixa que mudou o mundo tem sido usada como um agente privilegiado de globalização. Através da programação e da publicidade impõe padrões de consumo (moda, música, alimentação, valores), dilui culturas e nivela os modos de estar na vida. No fundo, está a americanizar o mundo, porque são sobretudo os americanos que controlam a TV.

A televisão pode ser aberrante: vende tudo, até o mais duvidoso candidato a um cargo político.

Transforma a guerra num jogo virtual, num espectáculo em directo asséptico, sem o cheiro a morte. Recorre ao sexo e à violência para iludir e anestesiar.

Pior ainda, o televisor tornou-se num vício – o televício – , gerando dependentes como a droga e o álcool. Há telespectadores que consomem diariamente horas e horas de televisão.

O televisor ocupa o lugar central da casa e faz concorrência desleal ao convívio familiar. Come-se e descansa-se a ver televisão em conjunto ou cada um em seu canto. A arte da conversa, o gosto pela leitura, a prática de hobbies vão-se rendendo cada vez mais aos encantos coloridos e cintilantes do cinescópio. E estamos a tornar-nos mais gordos, ignorantes, violentos, apáticos, alienados, iludidos por «contos de fadas» em «tecnicolor», reality shows, menos interessados nas coisas simples e profundas da vida. A TV enche-nos os olhos de cor e movimento, mas deixa-nos o coração vazio de afectos.

Como todas as coisas boas da vida, a televisão é para ser consumida com moderação.
O cabo e o satélite vieram alargar ainda mais a oferta. É necessário aprender a ser selectivos e inteligentes nas escolhas dos programas a visionar e rigorosos com os horários que nos concedemos para ver televisão. Afinal, a TV não é o único meio de comunicação. O mais interessante ainda continua a ser cara a cara, de viva voz e em presença real.

Por: JOSÉ VIEIRA, in Audácia, 2002

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Organização do Tratado do Atlântico Norte


A Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN ou NATO), por vezes chamada Aliança Atlântica, é uma organização internacional de colaboração militar estabelecida em 1949 em suporte do Tratado do Atlântico Norte assinado em Washington a 4 de Abril de 1949. Os seus nomes oficiais são North Atlantic Treaty Organization (NATO), em inglês, e Organisation du Traité de l'Atlantique Nord (OTAN), em francês. Em Portugal, utiliza-se mais frequentemente a palavra NATO (sigla em inglês) por, paradoxalmente, se parecer mais com uma palavra portuguesa. O seu secretário-geral é, desde 1 de Agosto de 2009, o dinamarquês Anders Fogh Rasmussen.
História

A organização foi criada em 1949, no contexto da Guerra Fria, com o objetivo de constituir uma frente oposta ao bloco socialista, que, aliás, poucos anos depois lhe haveria de contrapor o Pacto de Varsóvia, aliança militar do leste europeu.

Desta forma, a OTAN tinha, na sua origem, um significado e um objectivo paralelos, no domínio político-militar, aos do Plano Marshall no domínio político-económico. Os estados signatários do tratado de 1949 estabeleceram um compromisso de cooperação estratégica em tempo de paz e contraíram uma obrigação de auxílio mútuo em caso de ataque a qualquer dos países-membros.


Os Estados que integram a OTAN são a Albânia, Alemanha (República Federal da Alemanha antes da reunificação alemã), Bélgica, Canadá, Croácia, Dinamarca, Espanha, os Estados Unidos da América, a França, a Grécia, os Países Baixos, Islândia, Itália, Luxemburgo, Noruega, Portugal, Reino Unido, Turquia, Hungria, Polónia, República Checa, Bulgária, Estónia, Letónia, Lituânia, Roménia, Eslováquia e a Eslovénia.



Com o desmoronamento do Bloco de Leste ou União Soviética, no final dos anos 80, surgiu a necessidade de redefinição do papel da OTAN no contexto da nova ordem internacional, pois o motivo que deu origem ao aparecimento da organização e o objectivo que a norteou durante quatro décadas desapareceram subitamente.



A organização dedicou-se, pois, a esta nova tarefa, com o objectivo de se tornar o eixo da política de segurança de toda a Europa (isto, é considerando também os países que antes formavam o bloco adversário) e América do Norte. Assim, começou a tratar-se do alargamento a leste (considerando, nomeadamente, a adesão da Polónia, da Hungria e da República Checa) e, em 1997, criou-se o Conselho de Parceria Euro-Atlântica, um órgão consultivo e de coordenação onde têm também assento os países aliados da NATO, incluindo os países da Europa de Leste o que desagrada à Rússia ao ver afastar-se da sua esfera de influência.
Em Março de 1999, formalizou-se a adesão da Hungria, Polónia e da República Checa, três países do antigo Pacto de Varsóvia. Em Março de 2004, aderiram a Bulgária, Estónia, Letónia, Lituânia, Roménia, Eslováquia e a Eslovénia. No dia 1 de Abril de 2009, aderiram à Organização a Albânia e a Croácia.
Na actualidade, a Aliança Atlântica exerce grande influência nas decisões políticas europeias.


Estados membros

Membros fundadores: Bélgica, Canadá, Dinamarca, Estados Unidos, França, Islândia, Itália, Luxemburgo, Noruega, Países Baixos, Portugal e Reino Unido (4 de Abril de 1949).
Adesões durante a Guerra Fria: Grécia e Turquia (18 de Fevereiro de 1952), Alemanha Ocidental (9 de Maio de 1955) e Espanha (30 de Maio de 1982).
Adesões de países do antigo bloco de leste: Alemanha Oriental (reunificada com a Alemanha Ocidental, 3 de Outubro de 1990), República Checa e Polónia (12 de Março de 1999), Bulgária, Eslováquia, Eslovénia, Estónia, Letónia, Lituânia e Roménia (29 de Março de 2004), Albânia e Croácia (1 de Abril de 2009).


Parceria Euro-Atlântica

A estrutura dupla foi criada para ajudar a reforçar a cooperação entre os 28 membros da OTAN e os 22 "países parceiros".
O programa Parceria para a Paz foi criado em 1994 e é baseado em relações bilaterais individuais entre cada país parceiro e a OTAN: cada país pode escolher a extensão da sua participação. O programa é considerado o braço operacional da Parceria Euro-Atlântica. Os membros incluem todos os actuais e antigos membros da Comunidade de Estados Independentes.
O Conselho da Parceria Euro-Atlântica foi criado em 29 de Maio de 1997 e é um fórum de coordenação regular, consulta e diálogo entre todos os 49 participantes.


Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Os cem anos do hino nacional

A 17 de Novembro de 1910, uma nota do governo determinou: "Que se execute o hino nacional, A Portuguesa!".
No dia em que o hino comemora cem anos, o JN saiu à rua para perceber se os portuenses conhecem realmente a música composta por Alfredo Keil.

Vídeo: Os cem anos do hino nacional - JN

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

José Saramago completaria 88 anos...

Saramago, um homem tímido e de "coração doce"

Amanhã, 16 de Novembro, José Saramago completaria 88 anos. A filha Violante recorda um homem aparentemente austero e tímido mas de “coração doce”.
Se tivesse de escolher uma palavra para definir o pai, Violante Saramago apontaria para "filósofo". “Mais do que um escritor, aliava a escrita a preocupação cívica", explica, assegurando que o pai “gostaria de ter feito mais coisas e contribuir mais para um mundo melhor que era a sua grande preocupação”, sobretudo depois de ter sido galardoado como Prémio Nobel.

Numa entrevista à agência Lusa na semana em que o pai completaria 88 anos, Violante Saramago Matos, diz que “ser filha de José Saramago é um peso enorme, uma grande honra e um grande orgulho, que tem de dosear para não se deixar afogar na sua dimensão”.
“Eu não sou filha de pais normais”, diz Violante, explicando que durante muitos anos foi “a filha de Ilda Reis para o circuito das Artes Plásticas e para o das Letras era a filha de José Saramago. A certa altura as duas tiveram que encontrar-se, numa esquina, e combinar que tinham que ser a Violante”.
As suas memórias mais antigas vêm de "uma casa onde nasceu em Lisboa, de um escritório com duas estantes de pau preto, uma secretária enorme, onde ele trabalhava, cheia de livros”.
“Tenho muitas memórias do meu pai a escrever, de vez em quando lia-me as crónicas que fazia para a imprensa e depois dos livros”, recorda.
A filha de Saramago refere não ter “traumas de infância”, afirmando ter sido educada “pela palavra” e as situações nunca eram colocadas no plano do sim ou não, “havia sempre uma razão para as coisas”.
“Não me trazia prendas todos os dias, mas era um pai que estava lá quando eu precisava e se proporcionava. Nós conversávamos muito. Sei que foi um pai que me deu muita coisa, ajudou-me a equacionar e perceber a vida e fez-me pensar muito, o que é mais importante. Os presentes estiveram ao nível do intelecto”, explica.
Sobre a personalidade do pai diz que era “uma pessoa de fácil trato, contido na expressão das emoções porque era extremamente tímido”, o que dava a ideia de ser “complicado chegar até ele”.
A filha do escritor revela que a forma mais completa de ver como era irónico e subtilmente divertido é no filme “José e Pilar” que chega ao circuito comercial na terça-feira, no dia dos seus anos”, diz Violante Saramago.
“Essa secura era mesmo só aparente porque ele era um coração doce”, afirma.
Emocionada, admite que ficaram “muitas palavras por dizer, mas que vão continuar a não ser ditas” e elege O Ensaio sobre a Cegueira como a sua obra preferida.

+ Novembro, o mês de Saramago
+ Especial José Saramgo: A viagem não acaba nunca
+ Documentário «José e Pilar»: «Este é um filme dos vivos para os vivos»


2010-11-15 Fonte: LUSA

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Somos Iguais, Diferentes




Vou-vos contar uma história

De um pequeno trevo que nasceu diferente.

Em vez de três folhas

Tinha quatro e um coração carente,

Toda a gente olhava com desprezo

Sem coragem para o encarar

Estava triste por não ter amigos

Com quem brincar.

Somos iguais, diferentes / Não nos interessa, o aspecto / Queremos que o mundo inteiro / Dê ao trevo muito afecto. (bis)

O único amigo que lhe dava atenção

E carinho era o vento

Os outros que olhavam

Sem um gesto nem uma palavra

Dói por dentro.

Mas um dia passou um menino

E abraçou o trevo com paixão

Há certos gestos que não têm preço

"o dar a mão".

Mais um exemplo de vida! Obrigada, Marisa!

REFLEXÃO:
Esta canção leva-nos a reflectir na importância de aceitarmos a diferença... Se pensarmos bem, é na diferença, na diversidade, que está a riqueza do mundo. Todos devemos ser amigos, solidários, fraternos, capazes de ouvir, ajudar e respeitar os outros... Se as diferenças forem respeitadas e sem qualquer preconceito, todos nos sentiremos iguais.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Banco Alimentar Contra a Fome

Solidariedade na Escola
Dá o melhor de ti mesmo e constrói um mundo melhor!


Nos próximos dias 27 e 28 de Novembro, sábado e domingo, vai decorrer a Campanha Nacional de Recolha de Alimentos a favor do Banco Alimentar Contra a Fome (BACF).


O Clube de Solidariedade do nosso Agrupamento associa-se a esta acção e vai estar presente durante este período nos Supermercados, como tem vindo a acontecer!


Inscreve-te e participa!

sábado, 6 de novembro de 2010

Meca: Maior peregrinação anual do mundo começa a 14 de Novembro

A grande peregrinação anual muçulmana a Meca começa a 14 de Novembro e a Festa do Sacrifício ou Eid al Adha será celebrada dois dias depois, anunciaram as autoridades religiosas sauditas.

O anúncio foi feito depois da aparição da lua crescente, que marca o início do mês lunar muçulmano de Dhu al-hija, segundo o calendário islâmico.

Pelo menos um milhão e meio de muçulmanos já chegaram às cidades santas de Meca e Medina, na Arábia Saudita, antecipando-se ao início da grande peregrinação anual, divulgou na sexta-feira uma fonte oficial.
Um total de dois milhões de muçulmanos são esperados para o Hajj, em Meca, a maior peregrinação anual do mundo.

in @AFP/SAPO Notícias, 06 de Novembro de 2010

Clica na imagem

Clica na imagem
Fotos do Mundo

Testa a tua memória

Faz o teu presépio

Faz a tua árvore

Jogo Poluição das Águas

Jogo Eco-Cidade

Jogo Gesto Inteligente Transportes

Joga connosco e aprende!

Jogo interativo em Espanhol

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Jogo "Ser Pessoa"

Os perigos do tabaco

Os perigos do tabaco
Clica, joga e aprende...

Religiões do mundo

Religiões do mundo
Jogo - Para saber mais