terça-feira, 12 de dezembro de 2017

domingo, 10 de dezembro de 2017

Mensagem de Natal - para reflexão

Esta publicidade mostra um senhor sozinho em casa, abandonado pelos filhos.
No vídeo, podemos ver que os seus filhos deixam mensagens, dizendo que não vão poder passar o Natal com ele. O pai então decide pregar-lhes uma partida...
 Os filhos recebem a notícia de que o seu pai morreu; deixam as suas vidas atarefadas e vão para a casa do pai. 
Quando chegam, encontram uma grande surpresa: a mesa estava posta e o pai sai da cozinha. Eles emocionam-se e o senhor então diz: "de que outra maneira eu conseguiria reunir todos vocês aqui?"
Essa linda mensagem mostra-nos como é importante passar o Natal com pessoas amadas e demonstrar o amor que sentimos por elas!

69 anos da DUDH



A Educação para os Direitos Humanos

Daqui

A aprendizagem dos direitos humanos implica aprender sobre as responsabilidades, que acompanham todos os direitos, assim como a responsabilidade individual na sua aplicação. Isto quer dizer que não são os governos os únicos responsáveis pela sua promoção e defesa, mas que cada um tem um papel a desempenhar neste campo.


A educação para os direitos humanos inclui a aprendizagem:

- Sobre a dignidade, inerente a todas as pessoas.
- Sobre os princípios (universalidade, indivisibilidade, interdependência).
- Sobre como os DH promovem a paz.
- Sobre a História e desenvolvimento dos DH.
- Sobre o Direito Internacional.
- Sobre violações de DH (genocídio, tortura, violência contra as mulheres, etc.).


Além disso, os valores e atitudes de DH incluem:

- Fomentar o respeito pelos outros, a auto-estima e a esperança.
- Compreender a natureza da dignidade.
- Fomentar empatia e solidariedade com aqueles que sofrem violações de DH.
- Perceber a dimensão dos DH em questões económicas, civis, políticas, culturais
- Valorizar a não-violência e acreditar que a cooperação é melhor do que o conflito.

Eleanor Roosevelt verifica uma das primeiras impressões da DUDH

“Onde começam afinal, os direitos universais? em pequenos locais, perto de casa –tão perto e tão pequenos que não podem ser vistos em quaisquer mapa do mundo. No entanto, são o mundo da pessoa individual, do bairro onde vive, da escola ou universidade que frequenta, da fábrica, quinta ou escritório onde trabalha. Estes são os locais onde todos os homens, mulheres ou crianças procuram a igualdade de justiça oportunidade, dignidade sem discriminação. Se estes direitos não tiverem significado lá, terão pouco significado noutro sítio qualquer. Sem a acção do cidadão consciente, que os suporte perto da casa, será em vão que buscaremos o progresso neste vasto mundo.”

Daqui 

A árvore de Natal


Um símbolo da vida, a árvore de natal é uma tradição muito mais antiga do que o Cristianismo e não é um costume exclusivo de nenhuma religião em particular.

Muito antes da tradição de comemorar o Natal, os egípcios já levavam galhos de palmeiras para dentro de suas casas no dia mais curto do ano, em Dezembro, simbolizando o triunfo da vida sobre a morte. Os romanos já enfeitavam suas casas com pinheiros durante a Saturnália, um festival de inverno em homenagem a Saturno, o deus da agricultura. Nesta época, os religiosos também enfeitavam árvores de carvalho com maçãs douradas para as festividades do Solstício de Inverno.

A tradição da árvore de Natal

A primeira referencia à árvore de Natal como a conhecemos hoje data do século XVI.
Em Strasbourg, Alemanha (hoje território francês), todas as famílias decoravam pinheirinhos de natal com papéis coloridos, frutas e doces. A tradição espalhou-se por toda a Europa e chegou aos Estados Unidos no início de 1800. Desde essa altura que a popularidade da árvore de natal tem aumentado.

Reza a lenda de que o pinheiro foi escolhido como símbolo do Natal por causa da sua forma triangular e que de acordo com a tradição cristã representa a Santíssima Trindade: o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

Na Europa, uma das tradições natalinas consiste em decorar um pinheiro com maçãs, doces e pequenos wafers brancos, representando a eucaristia. A Árvore do Paraíso, como é chamada, era o símbolo da festa de Adão e Eva, que acontecia no dia 24 de Dezembro, muito antes da tradição cristã do Natal.
Hoje, a árvore não só representa o Paraíso como no início da tradição, mas também a salvação.

Segundo uma antiga tradição alemã, a decoração de uma árvore de natal deve incluir 12 ornamentos para garantir a felicidade de um lar:

Casa: protecção

Coelho: esperança

Xícara: hospitalidade

Pássaro: alegria

Rosa: afeição

Cesta de frutas: generosidade

Peixe: benção de Cristo

Pinha: fartura

Pai Natal: bondade

Cesta de flores: bons desejos

Coração: amor verdadeiro

Declaração Universal dos Direitos Humanos

in Youtube

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Trump diz que "Jerusalém é a capital de Israel". Um "contributo para a paz"

"Vou fazer tudo ao meu alcance para conseguir um acordo", garante o Presidente dos Estados Unidos.

"Jerusalém é a capital de Israel", declarou o Presidente norte-americano, Donald Trump. O anúncio histórico foi realizado esta quarta-feira na Casa Branca.
"É o reconhecimento da realidade. É a coisa certa a fazer", disse o líder dos Estados Unidos. Trump destacou que muitos presidentes prometeram a medida, mas que foi ele a cumprir.
"Depois de mais de duas décadas de renúncias, não estamos mais perto de um acordo de paz duradouro entre Israel e os palestinos", afirmou.
A decisão é no melhor interesse dos EUA e da paz entre Israel e palestinianos, argumentou o líder norte-americano, numa declaração na Casa Branca.
Os planos para transferir a embaixada de Telavive para Jerusalém vão avançar imediatamente, frisou.
Donald Trump espera que esta decisão seja um "contributo para a paz" e defende um "grande acordo para israelitas e palestinianos".
"Vou fazer tudo ao meu alcance para conseguir um acordo. Os EUA vão apoiar solução de dois estados, se tal for acordado pelos dois lados", afirmou o Presidente norte-americano.
“Jerusalém não é apenas o coração de três religiões, é o coração de uma das melhores democracias do mundo. Jerusalém deve continuar a ser um local onde os judeus rezam junto ao Muro das Lamentações, os cristãos fazem caminho da cruz e muçulmanos vão à mesquita”, frisou Trump. 
A decisão do Presidente norte-americano está a ser recebida com grande apreensão pela comunidade internacional.
Papa Francisco mostrou-se esta quarta-feira preocupado. “A este respeito, não posso calar a minha profunda preocupação pela situação que se criou nos últimos dias”, afirmou durante a audiência geral.
Jerusalém como capital? “Não posso calar a minha profunda preocupação", diz Papa
Jerusalém como capital? “Não posso calar a minha profunda preocupação", diz Papa
Jerusalém, cidade disputada
O estatuto de Jerusalém é um ponto nevrálgico no conflito entre israelitas e palestinianos. A cidade abriga locais sagrados para judeus, cristãos e muçulmanos e o seu estatuto é uma das questões mais polémicas e ponto crucial nas negociações de paz.
Israel considera Jerusalém a sua capital eterna e indivisível. Mas os palestinianos reivindicam parte da cidade, Jerusalém Oriental, como capital de seu futuro Estado.
A posição da maioria da comunidade internacional é a de que o estatuto de Jerusalém deve ser decidido em negociações de paz e, por isso mesmo, os países mantêm suas embaixadas em Telavive, a capital comercial de Israel.
Em 1947, quando a Assembleia Geral da ONU decidiu pelo plano de partilha da Palestina entre um Estado árabe e outro judeu, Jerusalém foi designada como "corpus separatum", sob controle internacional, mas o plano não chegou a ser implementado, já que em 1948, foi declarada a Independência do Estado de Israel e, logo em seguida, surgiu a guerra entre árabes e israelitas.
Findo o conflito, Jerusalém foi dividida, com a parte ocidental sob controle de Israel e a parte oriental controlada pela Jordânia.
Em 1967, Israel capturou a parte oriental da cidade e, desde então, vem construindo colunatos em Jerusalém Oriental, considerados ilegais pela comunidade internacional.
06 dez, 2017 - 18:10, Daqui

São Nicolau - 6 de dezembro

A 6 de dezembro celebra-se, na Europa ocidental, o dia deste santo grego. 

No nosso imaginário, o Pai Natal veste-se como a Coca-Cola o desenhou, na década de 1920. Mas a inspiração para o gordo das barbas vem da tradição europeia de São Nicolau, um bispo nascido em 270 d.C. na Ásia Menor, que tinha a reputação de colocar secretamente moedas nos sapatos de quem os deixasse na rua para ele. 
É uma tradição que ainda se celebra a 6 de Dezembro (dia da sua morte, em 350 d.C) nos países cristão ocidentais e a 19 de Dezembro nos orientais. É o santo padroeiro da Rússia, da Grécia e da Noruega.
O nome norte-americano de Santa Claus (pai natal) surgiu do holandês Sinterklaas, uma transliteração de Saint Nikolaos. Na Holanda, as crianças colocam na rua um trapo cheio de feno e uma cenoura para o cavalo de São Nicolau, a 6 de Dezembro, e os presentes são oferecidos com etiquetas com rimas humorísticas personalizadas. 
São Nicolau é reverenciado entre os anglicanos, os católicos, os luteranos e os cristãos ortodoxos, bem como entre alguns baptistas, metodistas e presbiterianos. 

Clica na imagem

Clica na imagem
Fotos do Mundo

Testa a tua memória

Faz o teu presépio

Faz a tua árvore

Jogo Poluição das Águas

Jogo Eco-Cidade

Jogo Gesto Inteligente Transportes

Joga connosco e aprende!

Jogo interativo em Espanhol

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Jogo "Ser Pessoa"

Os perigos do tabaco

Os perigos do tabaco
Clica, joga e aprende...

Religiões do mundo

Religiões do mundo
Jogo - Para saber mais