terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Cartas de amor 2018

Minha fofinha,
Eu penso em ti quando a noite cai e sinto-me angustiado.
Eu tenho vontade de ir à lua, pois a tua mãe diz-me que sou louco e o meu chefe lembra-me que estou no céu.
Tu és insuportável. Contigo, a minha vida é inútil. Sem ti, seria brilhante.
Quando regressares, não estarei mais lá.
Espero esquecer-te rapidamente.
                                                 O teu doce
                                                 Pedro C. 9ºC

Meu coraçãozinho,
Eu penso em ti quando o assado se queima e sinto-me angustiada.
Eu gostaria de gritar aos sete ventos, pois o nosso papagaio diz-me que me tornei trapaceira e os teus olhos lembram-me que me tornei trapaceira.
Tu és a minha fome. Contigo, a minha vida é inútil. Sem ti, seria um jardim devastado.
Quando regressares, esta será a união perfeita.
Espero que não te aborreças ainda mais.
                                                 A tua fofinha,
                                                 Inês 9ºC

Meu amorzinho,
Eu penso em ti quando o sol brilha e sinto-me apaixonada.
Eu gostaria de voar contigo, pois os teus olhos dizem-me que me tornei trapaceira e as tuas cartas lembram-me que estou no céu.
Tu és a minha razão de viver. Contigo, a minha vida é uma madrugada sem fim. Sem ti, seria inútil.
Quando regressares, abraço-te em breve.
Espero encontrar uma companhia agradável.
                                                 A tua doçura,
                                                 Diana 9ºC

sábado, 17 de fevereiro de 2018

8 jogos de relaxamento - crianças

Numa época em que usamos os tablets para acalmar as crianças, torna-se ainda mais indispensável treinar os nossos filhos em técnicas de relaxamento. Podemos fazer isso através de jogos que, ao mesmo tempo em que desenvolvem recursos para a vida das crianças, também permitem que elas se divirtam.
Assim, tendo em conta que vivemos numa sociedade que fomenta a pressa, os estímulos rápidos e a gratificação imediata é de suma importância que tenhamos à mão recursos que favoreçam um maior autocontrole.
Por isso, com base nessa premissa, compilamos neste artigo alguns jogos que servem como técnicas de relaxamento para as crianças da família. Vamos ver em que consistem:

1. Soprar a vela!

mae-e-filha-numa-praiaEste jogo consiste em aprender a respirar de maneira profunda, ou seja, tomando ar pelo nariz, inflando a barriga, e expulsando aos poucos o ar enquanto sopramos a vela com intenção de apagá-la. Assim que a criança compreende as instruções, pedimos para ela se sentar numa cadeira a dois metros da vela, que estará acesa em cima de uma mesa.
Ela não pode se levantar nem se inclinar, por isso esperamos que ela não consiga apagar a vela. Assim, aproximamos cerca de meio metro a cadeira da mesa. Iremos aproximar a cadeira de forma progressiva até que a criança consiga apagar a vela. Assim, teremos um jogo de uns 5 minutos em que a criança irá adquirir a habilidade de respirar fundo.

2. O jogo do balão

criancas-em-balaoA técnica do balão é um jogo maravilhoso que nos ajuda a fomentar o relaxamento através de uma respiração correta. O que vamos precisar? Apenas um espaço amplo e balões coloridos. O que devemos fazer? Encher um balão até ele explodir, depois encher outro e expulsar o ar lentamente manipulando a boca do balão.
Depois, pediremos para as crianças fecharem os olhos e imaginarem que estão se transformando em balões enquanto tomam ar. Em seguida, pediremos que elas expulsem o ar lentamente, como se fossem balões.
Depois de fazer isso, pediremos às crianças que nos contem situações nas quais se sentem como balões, situações em que elas não conseguem suportar ou tolerar algo. Então, pediremos que expliquem como resolveram isso, oferecendo alternativas se precisassem de ajuda para tomar consciência dessas situações.

3. O jogo da semente

crianca-descancando-e-aliviando-sua-emocaoCom música relaxante de fundo e luz fraca, simbolizaremos o crescimento de uma árvore. Começaremos por colocar os joelhos no chão, inclinar a cabeça e estender os braços para a frente, como se fôssemos gatos se espreguiçando.
Somos uma semente que, ao som da música, vai crescendo e se transformando em uma árvore grande com belos galhos, que serão nossos braços estendidos para cima quando estivermos de pé. Este exercício é ideal para fazer com eles à noite, antes de irem para a cama.

4. O conto da tartaruga

O conto da tartaruga, desenvolvido por Schneider, é magnífico para fomentar habilidades de autocontrole. Trata-se da história de uma pequena tartaruga que se irritava por tudo e que perdia o controle com grande facilidade.
Um dia, depois de se sentir sozinha e isolada, ela se encontra com uma sábia tartaruga que lhe dá uma dica para se controlar quando estiver com raiva: entrar em sua carapaça, contar até se acalmar, frear seus pensamentos e relaxar.
Este conto é ideal para ser narrado a crianças entre os 3 e os 7 anos de idade. Para facilitar a implementação desta habilidade, podemos lhes dar uma etiqueta ou um pedaço de papel com uma tartaruga sempre que elas realizarem o exercício em uma situação de tensão. Nós temos as tartarugas prontas para imprimir neste link.

5. O pote da calma

Chamamos “pote da calma” um frasco em que colocamos água, silicone líquido para dar densidade ao conteúdo e, por exemplo, purpurina. Podemos fabricá-lo com as crianças como um trabalho manual, e é ideal para que elas o contemplem tanto em momentos de tensão, como em momentos que podemos chamar de “zen“.
A criança agita o pote e observa o movimento, depois disso explicaremos que a purpurina é como suas emoções, que se agitam e agitam até se tranquilizarem. É ideal para fomentar a reflexão.
O simples ato de observar a purpurina se movendo lentamente lhes ajudará a se concentrar e a relaxar sua mente após momentos de grande ativação. Deixamos um vídeo que explica como fazer esse pote e como pode ser usado. Não se esqueça de fechar o pote com cola extraforte para impedir que ele se abra e derrame todo o conteúdo!

6. O jogo do soprador de bola gigante

soprador-de-bolaMais um recurso para se divertir e aprender a respirar fundo é o jogo do soprador. Consiste em que a criança mantenha a bola no ar por mais tempo possível. Divertido, não é? Este jogo é adorado pelas crianças e é muito funcional para favorecer o relaxamento. 

7. Amassar papéis, apertar bolas, rabiscar

Rabiscar, amassar papéis ou apertar bolas macias como bolas antiestresse é outro jogo maravilhoso para ajudar as crianças a canalizar suas emoções negativas. Além disso, ao mesmo tempo favorecemos o desenvolvimento das habilidades motoras finas, já que lhes ajudamos a fortalecer os músculos das mãos.

8. Pintar mandalas

mandalas-infantis
Pintar mandalas favorece não só o relaxamento e a reflexão, mas também a capacidade de concentração e a habilidade criativa. Em livrarias e na internet encontramos inúmeras alternativas adequadas para as crianças que elas irão adorar. Essa é a compilação de hoje, esperamos que estes jogos e recursos sejam de grande utilidade na criação de seus filhos. Não se esqueça de que é mais fácil criar crianças fortes do que consertar adultos destroçados, e que a nossa maior responsabilidade é o facto de a natureza nos confiar a criação das crianças.

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Relação entre pai e filho - reflexão, a partir de "Farol"

O autor é Po Chou Chi, um jovem diretor, natural de Taiwan, radicado em Los Angeles.  

Chou Chi produziu o filme Lighthouse ("Farol"), cheio de subtilezas e simbolismos. 
De facto, trata delicadamente a relação entre um pai e um filho, uma relação de crescimento, repleta de amor e de respeito. 

"Farol" mostra ainda que o fim também é o começo... 

!

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Reflexão "Só de mim"




"Só de mim" conta a história de alguém que já teve tudo e que só se apercebeu disso depois de perder...

Dia dos Namorados


Que as manifestações de afeto não se limitem apenas ao dia de hoje ... que seja uma existência de todos os dias...verdadeira e sentida... sem data nem hora marcada!

História de São Valentim

 O santo dos namorados parece ter vivido no século III da nossa era, em Roma, Valentim era um bispo cristão contemporâneo do imperador Cláudio II. Cláudio queria constituir um exército romano grande e forte; não conseguindo levar muitos romanos a alistar-se, acreditou que tal sucedia porque os homens não se dispunham a abandonar as suas mulheres e famílias para partirem para a guerra. E a solução que encontrou, foi proibir os casamentos dos jovens. Valentim ter-se-á revoltado contra a ordem imperial e, ajudado por S. Mário, terá casado muitos pares em segredo. Quando foi descoberto, foi preso e torturado. Enquanto estava encarcerado, muitos jovens davam flores e bilhetes dizendo que os jovens ainda acreditavam no amor. Enquanto aguardava na prisão o cumprimento da sua sentença, ele apaixonou-se pela filha cega de um carcereiro e, milagrosamente, devolveu-lhe a visão. Foi decapitado a 14 de Fevereiro do ano de 270, morrendo como mártir, testemunhando, com o sangue, a sua fé em Cristo. Em 496, o papa Gelásio reservou o dia 14 de Fevereiro ao culto de S. Valentim.

in Catequese Diocese do Porto

10 coisas a saber sobre a Quarta-feira de Cinzas


1. O que é a Quarta-feira de Cinzas?
É o primeiro dia da Quaresma, ou seja, dos 40 dias nos quais a Igreja chama os fiéis a converter-se e a preparar-se verdadeiramente para viver os mistérios da Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo durante a Semana Santa.

2. Como nasceu a tradição de impor as cinzas?
A tradição de impor a cinza surgiu na Igreja primitiva. Naquela época, as pessoas colocavam as cinzas na cabeça e apresentavam-se à comunidade com um “hábito penitencial” (saco de serapilheira) para receber o Sacramento da Reconciliação na Quinta-feira Santa.
A Quaresma adquiriu um sentido penitencial para todos os cristãos quase 400 anos depois de Cristo. 

3. Por que impõem as cinzas?
A cinza é um símbolo. A sua função está descrita no artigo 125 do Diretório sobre a piedade popular e a liturgia:
«O gesto de cobrir-se com cinza tem o sentido de reconhecer a própria fragilidade e mortalidade, que precisa de ser redimida pela misericórdia de Deus.»

4. O que simbolizam e o que recordam as cinzas?
A palavra cinza, que provém do latim cinis, representa o produto da combustão de algo pelo fogo. Esta adotou desde muito cedo um sentido simbólico de morte, expiração, mas também de humildade e penitência.
A cinza, como sinal de humildade, recorda ao cristão a sua origem e o seu fim: «Tu és pó e ao pó voltarás» (Gn 3, 19).

5. Que cinzas são utilizadas?
Na cerimónia são usadas as cinzas dos ramos abençoados no Domingo de Ramos do ano anterior. Estas recebem água benta e são aromatizados com incenso. 

6. Como se impõe as cinzas?
Este ato acontece durante a Missa, depois da homilia e está permitido que os leigos ajudem o sacerdote. As cinzas são impostas na fronte, em forma de cruz, enquanto o ministro pronuncia as palavras Bíblicas: “és pó e em pó te tornarás” ou “converte-te e acredita no Evangelho”.

7. Quem pode receber as cinzas?
Qualquer pessoa pode receber este sacramental, inclusive as não católicas. Como explica o Catecismo (1670 ss.), «sacramentais não conferem a graça do Espírito Santo à maneira dos sacramentos; mas, pela oração da Igreja, preparam para receber a graça e dispõem para cooperar com ela».

8. A imposição das cinzas é obrigatória?
A Quarta-feira de Cinzas não é dia de preceito e, portanto, não é obrigatória. Não obstante, é recomendável a participação, pois é uma das maneiras de assumir a caminhada quaresmal

9. Quanto tempo deve permanecer a cinza na fronte?
O tempo que a pessoa quiser. Não existe um tempo determinado.

10. O jejum e a abstinência são necessários?
O jejum e a abstinência são obrigatórios durante a Quarta-feira de Cinzas, como também na Sexta-feira Santa, para as pessoas maiores de 18 e menores de 60 anos. 
O jejum e abstinência, atualmente, não se refere apenas a carne, mas pode ser substituída por outro tipo de mortificação ou de oferecimento, para crescimento espiritual próprio e para o bem do próximo.

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Quarta-feira de Cinzas

A quarta-feira de cinzas é o primeiro dia da quaresma. 
Na Bíblia, como na maioria das religiões antigas, as cinzas simbolizam a insignificância humana. Diante de Deus, o ser humano é frágil e pecador. Por isso, a liturgia das cinzas, na quarta-feira, lembra aos fiéis sua condição de criaturas pecadoras e a necessidade de conversão.
As cinzas que os fiéis recebem, neste dia, é, pois, um símbolo para a reflexão sobre o dever da conversão, da mudança de vida, recordando a passageira, transitória e efémera fragilidade da vida humana, sujeita à morte. 
Na Igreja, na Quarta-feira de Cinzas, o cristão recebe uma cruz na fronte com as cinzas obtidas da queima das palmas usadas no Domingo de Ramos do ano anterior. 
Uma das frases – no momento da imposição das cinzas – serve de lembrete para nós:“Lembra-te que do pó viestes e ao pó, hás de retornar.” 
A cinza quer demonstrar justamente isso; viemos do pó, viemos da cinza e voltaremos para lá, mas, precisamos estar com os nossos corações preparados, com a nossa alma preparada para Deus.
In Amiguinhos de Deus:  Daqui

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Carnaval Cristão e seu significado

A festa carnavalesca surge a partir da implantação, no século XI, da Semana Santa pela Igreja Católica, antecedida por quarenta dias de jejum, a Quaresma. Esse longo período de privações acabaria por incentivar a reunião de diversas festividades nos dias que antecediam a Quarta-feira de Cinzas, o primeiro dia da Quaresma. A palavra "carnaval" está, desse modo, relacionada com a ideia de "afastamento" dos prazeres da carne marcado pela expressão "carne vale", que acabou por formar a palavra "carnaval".
Em geral, o Carnaval tem a duração de três dias, os dias que antecedem a Quarta-feira de Cinzas. 

Em contraste com a Quaresma, tempo de penitência e privação, estes dias são chamados "gordos", em especial a terça-feira (Terça-feira gorda, também conhecida pelo nome francês Mardi Gras), último dia antes da Quaresma. Nos Estados Unidos, o termo mardi gras é sinónimo de Carnaval.

No período do Renascimento, as festas que aconteciam nos dias de carnaval incorporaram os baile de máscaras, com suas ricas fantasias e os carros alegóricos. Ao carácter de festa popular e desorganizada, juntaram-se outros tipos de comemoração e progressivamente a festa foi tomando o formato actual.

O Carnaval é um período de festas regidas pelo ano lunar no Cristianismo da Idade Média. O período do Carnaval era marcado pelo "adeus à carne" ou "carne vale" dando origem ao termo "Carnaval".
Durante o período do Carnaval havia uma grande concentração de festejos populares. Cada cidade brincava a seu modo, de acordo com seus costumes. O Carnaval moderno, feito de desfiles e fantasias, é produto da sociedade vitoriana do século XIX. A cidade de Paris foi o principal modelo exportador da festa carnavalesca para o mundo. Cidades como Nice, Nova Orleans, Toronto e Rio de Janeiro inspiraram-se no Carnaval francês para implantar as suas novas festas carnavalescas, sendo o Carnaval do Rio de Janeiro considerado o mais importante do mundo...
in Wikipédia

Clica na imagem

Clica na imagem
Fotos do Mundo

Testa a tua memória

Faz o teu presépio

Faz a tua árvore

Jogo Poluição das Águas

Jogo Eco-Cidade

Jogo Gesto Inteligente Transportes

Joga connosco e aprende!

Jogo interativo em Espanhol

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Jogo "Ser Pessoa"

Os perigos do tabaco

Os perigos do tabaco
Clica, joga e aprende...

Religiões do mundo

Religiões do mundo
Jogo - Para saber mais