segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Rainha Santa Isabel - vídeo

"São rosas, senhor"

A mulher de D. Dinis, a rainha Santa
Isabel, tornou-se célebre pela sua imensa bondade. Ocupava o tempo a fazer bem a quantos a rodeavam, visitando e tratando doentes, distribuindo esmolas pelos pobres.
Ora, conta a lenda que o rei, já irritado por ela andar sempre misturada com mendigos, a proibiu de dar mais esmolas.
Mas, certo dia, vendo-a sair furtivamente do palácio, foi atrás dela e perguntou o que levava escondido por baixo do manto.
Era pão. Mas ela, aflita por ter desobedecido ao rei, exclamou:

- São rosas, Senhor!
- Rosas, em Janeiro?- duvidou ele.
De olhos baixos, a rainha Santa Isabel abriu o regaço - e o pão tinha-se transformado em rosas, tão lindas como jamais se viu.



Romance da Rainha Santa Isabel


Peço graça com fervor

Do divino Manuel,
Para que haja de rezar
Da Rainha Santa Isabel:
Em Saragoça nascida,
Segundo a oração diz,
Foi rainha mui querida,
Mulher d’el-rei Dom Dinis;
Aos pobres socorria
Com entranhas do coração;
Pois de ninguém se fiava,
Sua esmola apresentava
Com a sua própria mão.
Vindo a “santa” um dia,
Com seu regaço ocupado,
Pelo tesouro que havia,
Com el-rei eis encontrada!
«Que levais aí, Senhora?
Levo cravos e mais rosas,
Para mais nossa alegria.
Bem sei que levais dinheiro,
Segundo sois costumada;
Antes que muito me cheira,
Rosas em Janeiro,
É de maravilha achá-las!»
A Senhora
O seu regaço lhe amostrou,
Cravos e rosas achou,
Um cheiro que admirava.
«Ó rainha excelente!
Meu tesouro podeis dar,
Minha coroa empenhar
Porque tudo estou contente.»
Estando a “santa” um dia
Na sua sala sentada,
Chegou-lhe um pobre chagado,
Se o podia arremediar;
Ela lhe disse
Com palavras de amor:
«Mandarei chamar o doutor,
Que vos haja de curar.
Senhora, se queredes
Ter o vosso coração inflamado,
Deitai-me na vossa cama,
Que eu serei remediado.»
A Senhora
De pés e mãos o lavou,
Na sua cama o deitou.
Um cavaleiro, que no paço
Havia encontrado,
A el-rei tudo é contado.
Vindo el-rei muito agastado,
Com tenção de a matar,
Contra a clemência que usava;
Na cama onde repoisava
Deitar um pobre chagado.
A Senhora correu o cortinado,
Achou Jesus crucificado!
Muito chorou o rei com ele
Dos milagres, que ela tinha obrado.
Em Estremoz acabou
Em Coimbra está sepultada,
No convento que formou
De Santa Clara sagrada.

in Romanceiro e Cancioneiro Popular Português

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

sábado, 17 de fevereiro de 2018

8 jogos de relaxamento - crianças

Numa época em que usamos os tablets para acalmar as crianças, torna-se ainda mais indispensável treinar os nossos filhos em técnicas de relaxamento. Podemos fazer isso através de jogos que, ao mesmo tempo em que desenvolvem recursos para a vida das crianças, também permitem que elas se divirtam.
Assim, tendo em conta que vivemos numa sociedade que fomenta a pressa, os estímulos rápidos e a gratificação imediata é de suma importância que tenhamos à mão recursos que favoreçam um maior autocontrole.
Por isso, com base nessa premissa, compilamos neste artigo alguns jogos que servem como técnicas de relaxamento para as crianças da família. Vamos ver em que consistem:

1. Soprar a vela!

mae-e-filha-numa-praiaEste jogo consiste em aprender a respirar de maneira profunda, ou seja, tomando ar pelo nariz, inflando a barriga, e expulsando aos poucos o ar enquanto sopramos a vela com intenção de apagá-la. Assim que a criança compreende as instruções, pedimos para ela se sentar numa cadeira a dois metros da vela, que estará acesa em cima de uma mesa.
Ela não pode se levantar nem se inclinar, por isso esperamos que ela não consiga apagar a vela. Assim, aproximamos cerca de meio metro a cadeira da mesa. Iremos aproximar a cadeira de forma progressiva até que a criança consiga apagar a vela. Assim, teremos um jogo de uns 5 minutos em que a criança irá adquirir a habilidade de respirar fundo.

2. O jogo do balão

criancas-em-balaoA técnica do balão é um jogo maravilhoso que nos ajuda a fomentar o relaxamento através de uma respiração correta. O que vamos precisar? Apenas um espaço amplo e balões coloridos. O que devemos fazer? Encher um balão até ele explodir, depois encher outro e expulsar o ar lentamente manipulando a boca do balão.
Depois, pediremos para as crianças fecharem os olhos e imaginarem que estão se transformando em balões enquanto tomam ar. Em seguida, pediremos que elas expulsem o ar lentamente, como se fossem balões.
Depois de fazer isso, pediremos às crianças que nos contem situações nas quais se sentem como balões, situações em que elas não conseguem suportar ou tolerar algo. Então, pediremos que expliquem como resolveram isso, oferecendo alternativas se precisassem de ajuda para tomar consciência dessas situações.

3. O jogo da semente

crianca-descancando-e-aliviando-sua-emocaoCom música relaxante de fundo e luz fraca, simbolizaremos o crescimento de uma árvore. Começaremos por colocar os joelhos no chão, inclinar a cabeça e estender os braços para a frente, como se fôssemos gatos se espreguiçando.
Somos uma semente que, ao som da música, vai crescendo e se transformando em uma árvore grande com belos galhos, que serão nossos braços estendidos para cima quando estivermos de pé. Este exercício é ideal para fazer com eles à noite, antes de irem para a cama.

4. O conto da tartaruga

O conto da tartaruga, desenvolvido por Schneider, é magnífico para fomentar habilidades de autocontrole. Trata-se da história de uma pequena tartaruga que se irritava por tudo e que perdia o controle com grande facilidade.
Um dia, depois de se sentir sozinha e isolada, ela se encontra com uma sábia tartaruga que lhe dá uma dica para se controlar quando estiver com raiva: entrar em sua carapaça, contar até se acalmar, frear seus pensamentos e relaxar.
Este conto é ideal para ser narrado a crianças entre os 3 e os 7 anos de idade. Para facilitar a implementação desta habilidade, podemos lhes dar uma etiqueta ou um pedaço de papel com uma tartaruga sempre que elas realizarem o exercício em uma situação de tensão. Nós temos as tartarugas prontas para imprimir neste link.

5. O pote da calma

Chamamos “pote da calma” um frasco em que colocamos água, silicone líquido para dar densidade ao conteúdo e, por exemplo, purpurina. Podemos fabricá-lo com as crianças como um trabalho manual, e é ideal para que elas o contemplem tanto em momentos de tensão, como em momentos que podemos chamar de “zen“.
A criança agita o pote e observa o movimento, depois disso explicaremos que a purpurina é como suas emoções, que se agitam e agitam até se tranquilizarem. É ideal para fomentar a reflexão.
O simples ato de observar a purpurina se movendo lentamente lhes ajudará a se concentrar e a relaxar sua mente após momentos de grande ativação. Deixamos um vídeo que explica como fazer esse pote e como pode ser usado. Não se esqueça de fechar o pote com cola extraforte para impedir que ele se abra e derrame todo o conteúdo!

6. O jogo do soprador de bola gigante

soprador-de-bolaMais um recurso para se divertir e aprender a respirar fundo é o jogo do soprador. Consiste em que a criança mantenha a bola no ar por mais tempo possível. Divertido, não é? Este jogo é adorado pelas crianças e é muito funcional para favorecer o relaxamento. 

7. Amassar papéis, apertar bolas, rabiscar

Rabiscar, amassar papéis ou apertar bolas macias como bolas antiestresse é outro jogo maravilhoso para ajudar as crianças a canalizar suas emoções negativas. Além disso, ao mesmo tempo favorecemos o desenvolvimento das habilidades motoras finas, já que lhes ajudamos a fortalecer os músculos das mãos.

8. Pintar mandalas

mandalas-infantis
Pintar mandalas favorece não só o relaxamento e a reflexão, mas também a capacidade de concentração e a habilidade criativa. Em livrarias e na internet encontramos inúmeras alternativas adequadas para as crianças que elas irão adorar. Essa é a compilação de hoje, esperamos que estes jogos e recursos sejam de grande utilidade na criação de seus filhos. Não se esqueça de que é mais fácil criar crianças fortes do que consertar adultos destroçados, e que a nossa maior responsabilidade é o facto de a natureza nos confiar a criação das crianças.

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Reflexão "Só de mim"




"Só de mim" conta a história de alguém que já teve tudo e que só se apercebeu disso depois de perder...

Dia dos Namorados


Que as manifestações de afeto não se limitem apenas ao dia de hoje ... que seja uma existência de todos os dias...verdadeira e sentida... sem data nem hora marcada!

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Máscaras de Carnaval de Veneza

Desejado por muitos, odiado por alguns, mas celebrado por todos, o Carnaval de Veneza ainda conserva toda sua mística e atrai, todos os anos, milhares 
de visitantes à "Serenissima". Ao longo de uma dezena de dias, a cidade acorda da neblina dos dias de Inverno, para receber a invasão de foliões que percorrem as suas vielas e canais com as suas máscaras, brincadeiras e alegria.


As máscaras do carnaval de Veneza são famosas em todo o mundo pelo detalhe, pela beleza na elaboração e pela riqueza com que são apresentadas.
As máscaras permitiam a quebra das barreiras sociais e os ricos podiam aproximar-se dos pobres sem serem socialmente condenados ou comprometidos. A verdade é que de tudo isso restaram as festas carnavalescas que proliferam em toda a Itália e que se modernizam com o passar do tempo, mas as máscaras permanecem.
Desejos e tentações podiam ser realizados na protecção do anonimato das máscaras, assim como era uma óptima maneira de se frequentar os lugares proibidos.

As máscaras têm origem bastante antiga e o seu uso é permitido durante todo o carnaval, excepto nas festas religiosas. Durante todas as manifestações importantes, como as festas republicanas, era consentido o uso dos trajes venezianos que compunham o uso das máscaras.
Como nesta época do ano ainda faz frio no continente europeu, normalmente o carnaval é cercado por roupas longas e máscaras.
As máscaras venezianas são maravilhosas e conhecidas em todo o mundo, basta olharmos algumas fotografias deste carnaval.


Há um rei do carnaval na Itália, enterrado ao final da festa, num ritual que inclui mulheres a chorar com fantasias coloridas.

O Carnaval de Veneza é um momento mágico que envolve toda a cidade.

Commedia dell'arte - Conhecida também como Comédia de Máscaras, a Commedia Dell´Arte era composta por espectáculos teatrais em prosa, muito populares na Itália e em toda a Europa na segunda metade do século XVI até meados do século XVIII. O espectáculo era baseado no improviso dos actores, que seguiam apenas um esquema elaborado pelo autor para cada cena cómica, trágica ou tragicómica.

Hoje em dia, o carnaval veneziano está muito mais moderno mas conserva a tradição do uso de máscaras maravilhosas confeccionadas manualmente que embeleza os bailes e trazem aquele glamour que juntamente com o cenário de Veneza, tornam o seu carnaval inesquecível!


Nexte contexto, Veneza é uma cidade maravilhosa no coração da Itália, famosa pela sua paisagem, as suas gôndolas e os seus bailes de carnaval.

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Quase 40% das crianças dos três aos oito anos acedem à Internet

A 6 de fevereiro comemora-se o Dia da Internet Mais Segura. A propósito desta data, a Entidade Reguladora para a Comunicação Social publicou o e-book “Boom Digital? Crianças (3-8 anos) e Ecrãs”.

ITA - (intranet) autismo
À medida que as crianças crescem acedem cada vez mais à Internet: 38% das crianças dos três aos oito anos navegam na web, 22% das crianças do três aos cinco anos e também, bem como mais de metade (62%) das crianças entre os seis e os oito anos.
A conclusão é do inquérito promovido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) e publicado no e-book “Boom Digital? Crianças (3-8 anos) e Ecrãs”, que inclui um inquérito ligado ao projeto “Públicos e Consumos de Media”. O artigo científico foi divulgado esta terça-feira para assinalar o Dia da Internet Mais Segura, que se comemora neste 6 de janeiro,.
O estudo, desenvolvido em parceria com a Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, revelou ainda que os(as) filhos(as) de famílias com estatuto socioeconómico mais alto são aquelas que mais utilizam a rede. Quanto aos motivos pelos quais os mais pequenos são cibernautas, trata-se de razões lúdicas: ver desenhos animados e filmes, jogar e ouvir músicas.
“Este estudo sobre os usos da televisão e das redes digitais pelas crianças, além de constituir um relevante contributo para as orientações da ERC, representa também uma proposta de reflexão que disponibilizamos às famílias e aos educadores”, explica o vice-presidente da ERC, Mário Mesquita.
“Na televisão os pais têm a sensação que controlam. Nos outros meios digitais sentem uma fragilidade nas suas competências de observação e controlo. Daí a importância de as competências digitais (…) fazerem parte de uma agenda de formação e informação parental e das próprias crianças”, destaca Cristina Ponte, responsável pela coordenação científica do estudo.


Reflexões sobre o dia da Internet Segura

Sabia que...

- Existem cerca de 30 milhões de tweets por dia;

- O YouTube é o segundo motor de busca mais abrangente da Internet com pelo menos 150 milhões de utilizadores a consultarem-no uma vez por semana;

- O Monte Everest já possui cobertura 3G, ao contrário de cerca de 30% das cidades do Brasil?

- O utilizador médio em 2012 acedia à Internet pelo menos 4 horas por dia e que nessa altura, 33% da população mundial estava online;

- O crescimento das páginas web foi catapultado na última década, passando dos 3 milhões (registados em 2002) para os 555 milhões (2012);

 - E que para atingir uma audiência de 50.000 pessoas, a rádio precisou de 38 anos, a televisão 13 anos e a Internet apenas 4 anos.

Assim, milhões de utilizadores, de todas as idades, culturas e estilos de vida, usam diariamente a Internet. A Internet é por isso, um meio versátil e uma fonte de inesgostáveis recursos, que nos permite contactar com utilizadores em regiões remotas e estabelecer uma rede de partilha com o mundo.

Contudo, este mundo cheio de potencialidades, também oferece alguns riscos que ameaçam a nossa segurança e bem-estar. Nesta área pretendemos evidenciar estes riscos, para o ajudar a se proteger da melhor forma e a educar os mais jovens a fazerem o mesmo.

Ao tomar certas precauções, a sua navegação será mais protegida e, como tal, poderá desfrutar com maior segurança das inúmeras vantagens que a Internet e as mais recentes tecnologias lhe oferecem. Para saber mais acerca dos riscos e das formas de se proteger, sugerimos que consulte as seções abaixo:

Internet segura - Histórias do Lucas




Experiência vivida por uma adolescente no MSN


Após deixar os livros no sofá ela decidiu lanchar e entrar online.
Assim, ligou-se com o seu nome de código (nick): Docinho14.
Procurou na sua lista de amigos e viu que Meteoro123 estava ligado.
Decidiu então enviou-lhe uma mensagem instantânea:

Docinho14: Oix. Que sorte estares aí! Pensei que alguém me seguia na rua hoje. Foi mesmo esquisito!
Meteoro123: Lol. Vês muita TV. Por que razão alguém te seguiria? Não moras num local seguro da cidade?
Docinho14: Com certeza. Lol. Acho que imaginei isso porque não vi ninguém quando me virei.
Meteoro123: A menos que tenhas dado o teu nome online. Não fizeste isso, pois não?
Docinho14: Claro que não. Não sou idiota, já sabes.
Meteoro123: Jogaste voleibol depois das aulas, hoje?
Docinho14: Sim e ganhámos!
Meteoro123: Óptimo! Contra quem?
Docinho14: Contra as Vespas do Colégio da Sagrada Família. Lol. Os uniformes delas são um nojo! Pareciam abelhas, Lol.
Meteoro123: Como se chama a tua equipa?
Docinho14: Somos os Gatos de Botas. Temos garras de tigres nos uniformes. São impecáveis.
Meteoro123: Jogas ao ataque?
Docinho14: Não, jogo à defesa. Olha: tenho que ir. Tenho que fazer os TPC antes que cheguem os meus pais. Xau!
Meteoro123: Falamos mais tarde. Xau.

Entretanto, Meteoro123 foi à lista de contactos e começou a pesquisar sobre o perfil dela.
Quando apareceu, copiou-o e imprimiu-o.
Pegou na caneta e anotou o que sabia de Docinho até agora.
Seu nome: Susana.
Aniversário: Janeiro 3.
Idade: 13.
Cidade onde vive: Porto.
Passatempos: voleibol, inglês, natação e passear pelas lojas.
Além desta informação sabia que vivia no centro da cidade porque lho tinha contado recentemente.
Sabia que estava sozinha até às 18.30 todas as tardes até que os pais voltassem do trabalho.
Sabia que jogava voleibol às quintas-feiras de tarde com a equipa do colégio, os Gatos de Botas.
O seu número favorito, o 4, estava estampado na sua camisola.
Sabia que estava no oitavo ano no colégio da Imaculada Conceição.
Ela tinha contado tudo em conversas online. Agora tinha informação suficiente para encontrá-la.
Susana não contou aos pais sobre o incidente ao voltar do parque. Não queria que ralhassem com ela e a impedissem de voltar dos jogos de voleibol a pé.
Os pais sempre exageram e os seus eram os piores.
Ela teria gostado não ser filha única. Talvez se tivesse irmãos, os seus pais não tivessem sido tão super protectores.
Na quinta-feira, Susana já se tinha esquecido que alguém a seguira.
O seu jogo decorria quando, de repente, sentiu que alguém a observava. Olhou e viu um homem que a observava de perto.
Estava inclinado contra a cerca na arquibancada e sorriu quando o viu. Não parecia alguém de quem temer e rapidamente desapareceu o medo que sentira.
Depois do jogo, ele sentou-se num dos bancos enquanto ela falava com o treinador.
Ela apercebeu-se do seu sorriso mais uma vez quando passou ao lado.
Ele acenou com a cabeça e ela devolveu-lhe o sorriso.
Também confirmou o seu nome nas costas da camisola. Sabia que a tinha encontrado.
Silenciosamente, caminhou a uma certa distância atrás dela.
Eram só uns quarteirões até casa dela. Quando viu onde morava voltou ao parque e entrou no carro. Agora tinha que esperar. Decidiu comer algo até que chegou a hora de ir à casa da menina. Foi a um café e sentou-se.

Mais tarde, nessa noite, Susana ouviu vozes na sala. “Susana, vem cá!”, chamou o seu pai.
Parecia perturbado e ela não imaginava porquê. Entrou na sala e viu o homem do parque no sofá. “Senta-te aí”, disse-lhe o pai, “este senhor acaba-nos de contar uma história muito Interessante sobre ti”.
Susana sentou-se. Como poderia ele contar-lhes qualquer coisa? Nunca o tinha visto senão nesse mesmo dia!
“Sabes quem eu sou?”, perguntou o homem.
“Não”, respondeu Susana.
“Sou polícia e teu amigo do Messenger - Meteoro123”.
Susana ficou pasmada. “É impossível! Meteoro123 é um rapaz da minha Idade! Tem 14 e mora em Braga!”.

O homem sorriu. “Sei que te disse tudo isso, mas não era verdade. Repara, Susana, há gente na Internet que se faz passar por miúdos; eu era um deles. Mas enquanto alguns o fazem para molestar crianças e jovens, eu sou de um grupo de pais que o faz para proteger as crianças dos malfeitores. Vim para te ensinar que é muito perigoso falar online. Contaste-me o suficiente sobre ti para eu te achar facilmente. Deste-me o nome da tua escola, da tua equipa e a posição em que jogas. O número e o teu nome na camisola fizeram com que te encontrasse facilmente.
Susana gelou. “Quer dizer que não mora em Braga?”.
Ele riu-se: “Não, moro no Porto. Sentiste-te segura achando que morava longe, não é?”

“Tenho um amigo cuja filha não teve tanta sorte: foi assassinada enquanto estava sozinha em casa. Ensinam-se as crianças e jovens a não dizer a ninguém quando estão sozinhos, porém contam isso a toda a gente pela Internet. As pessoas maldosas enganam e fazem-se passar por outras para tirar informações de aqui e de ali online. Antes de dares por isso, já lhes contaste o suficiente para que te possam achar sem que te apercebas. Espero que tenhas aprendido uma lição disto e que não o faças de novo. Conta aos outros sobre isto para que também possam estar seguros”. “Prometo que vou contar!”.

CONCLUSÃO:
Por favor, diz isto aos teus amigos de forma a que não forneçam informações sobre si próprios. O mundo em que hoje vivemos é perigoso demais.
E NÃO TE ESQUEÇAS: CUIDADO COM AS INFORMAÇÕES QUE PASSAS NO FACEBOOK, NO MSN OU OUTROS... NUNCA SABES AO CERTO QUEM ESTÁ DO OUTRO LADO...

Religiões do mundo

Religiões do mundo
Jogo - Para saber mais

Clica na imagem

Clica na imagem
Fotos do Mundo

Objetivos Globais para o Desenv. Sustentável

Igrejas em três dimensões

Igrejas em três dimensões
Clica na Igreja do Castelo de Montemor-o-Velho

Saber mais: