terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Reflexão: Quando eu for idoso...

“Quando eu for idoso e deixar de ser como era, tem paciência e compreende-me!

Se entornar comida sobre a camisa ou esquecer como atar os sapatos, recorda as horas que passei a ensinar-te a ultrapassar estes problemas.

Se, quando conversar contigo, repetir vezes sem conta as histórias que conheces de cor, não me interrompas.

Quando eras criança, contei-te milhares de vezes o mesmo conto para adormeceres.

E, se me esquecer do que estava a dizer, espera que me lembre.


Se não o conseguir, talvez não fosse importante o que dizia.

Conformar-me-ei se me escutares nesse momento.

Quando estivermos reunidos em família – ou com os teus amigos – e, sem querer, fizer as minhas necessidades, não te envergonhes de mim, pois não consigo controlar-me.

Pensa em quantas vezes, enquanto crescias, te limpei e, com paciência, esperei que o fizesses no lugar certo.

Não ralhes comigo se não quero tomar banho tantas vezes.

Quando eras pequeno também te perseguia e recorria a mil pretextos para velar pelo teu asseio.

Quando me tomares por ignorante acerca das novas tecnologias e inútil na sociedade, peço-te que me concedas o tempo necessário para aprender algo e poupa-me os teus sorrisos de troça.
Lembra-te que fui eu que te ensinei muitas coisas: a comer, a vestir-te, e que a tua formação é fruto de muitos esforços.

Se alguma vez não quiser comer, não insistas; sei quando posso e quando não devo.

Pensa que deixo de ter dentes fortes para morder e também perco o sentido do gosto.

Quando as pernas cansadas me falharem, dá-me a tua mão para que me apoie.

Foi isso que fiz quando começaste a caminhar.

Por fim, se algum dia me ouvires dizer que preferia morrer, não te chateies.

Isso não nega a importância do teu carinho nem o meu amor por ti.


Desejei-te sempre o melhor e desbravei caminhos que podias percorrer.

Considera que os passos que me adianto a dar abrem outras rotas para ti e inauguram novos tempos.

Jamais te sintas triste e impotente.

Assim como te auxiliei quando começaste a viver, acompanha-me até ao fim do meu caminho.

Dá-me o teu coração, compreende-me e apoia-me.

Dá-me AMOR e paciência.

Devolver-te-ei sempre gratidão e SORRISOS”.
Walter Ballesteros

Um comentário:

Zuka disse...

Muito oportuna esta mensagem, faz-nos refletir!

Clica na imagem

Clica na imagem
Fotos do Mundo

Testa a tua memória

Faz o teu presépio

Faz a tua árvore

Jogo Poluição das Águas

Jogo Eco-Cidade

Jogo Gesto Inteligente Transportes

Joga connosco e aprende!

Jogo interativo em Espanhol

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Jogo "Ser Pessoa"

Os perigos do tabaco

Os perigos do tabaco
Clica, joga e aprende...

Religiões do mundo

Religiões do mundo
Jogo - Para saber mais