sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Prémio Nobel da Paz 2017

Ao centro, Diretora Executiva da Campanha Internacional para a Abolição das Armas Nucleares (Ican), Beatrice Fihn

O Prémio Nobel da Paz 2017 foi  atribuído à Campanha Internacional para a Abolição das Armas Nucleares (ICAN). O Comité Nobel norueguês decidiu distinguir a organização "pelos esforços para captar atenção para as catastróficas consequências humanas" da utilização deste tipo de armamento.

Num período conturbado em que a utilização de armamento nuclear é um dos principais temas mundiais, o Comité Nobel norueguês decidiu atribuir o Prémio Nobel da Paz à Campanha Internacional para a Abolição das Armas Nucleares.

"Vivemos num mundo em que o risco de utilização de armas nucleares é maior do que alguma vez foi", declarou Berit Reiss-Andersen, líder do Comité Nobel da Noruega.


A ICAN pauta-se por ser uma coligação de ativistas que pretende o desarmamento nuclear. Foi premiada pelo seu trabalho nas negociações que terminaram com a criação de um tratado para proibir armas nucleares, juntamente com as Nações Unidas.

"A organização foi agraciada com este prémio pelos seus esforços para captar atenção para as catastróficas consequências humanas das armas nucleares e pelos esforços inéditos para alcançar um tratado baseado na proibição de tais armas", declarou a presidente do Comité Nobel.

A Campanha Internacional sucede ao Presidente colombiano, Juan Manuel Santos, na atribuição do Prémio Nobel da Paz, pelos esforços realizados para restaurar a paz na Colômbia.
Trabalho desenvolvido à escala global

A ICAN trabalha há muito por um travão à utilização de armamento nuclear. A coligação é não-governamental e está presente em mais de 100 países. Nasceu na Austrália, mas foi formalmente instituída em 2007 em Viena.

Em julho deste ano, a ICAN foi responsável pela criação de um tratado (apoiado pelas Nações Unidas) que proíbe a utilização de armamento nuclear. 

Apesar da adoção do documento por parte de 122 países, entre os quais Portugal, os principais Estados com armas nucleares, como Estados Unidos, Reino Unido, Rússia, China e França, não assinaram o tratado e descreveram-no como uma "diversão".
ICAN destaca "grande honra"

A Campanha Internacional para a Abolição das Armas Nucleares mostrou-se honrada pela atribuição do Prémio Nobel.

"É uma grande honra ter recebido o Prémio Nobel da Paz 2017, como reconhecimento do nosso papel na criação de um tratado que proíbe a utilização de armas nucleares. Este acordo histórico, adotado a 7 de julho com o apoio de 122 nações, oferece uma poderosa e necessária alternativa para o nosso mundo em que as ameaças de destruição em massa prevalecem".

O grupo sublinhou que o Nobel é um prémio merecido para todos os ativitas à escala internacional que tentam parar a utilização de armas nucleares, assim como e um tributo para as vítimas dos ataques nucleares de Hiroshima e Nagasaki, no Japão.

"É um tributo aos sobreviventes dos ataques nucleares a Hiroshima e Nagasaki e outras vítimas de explosões atómicas em outras partes do mundo. As suas histórias foram instrumentais para assegurar este marco", continuou por explicar a ICAN.

"Agradecemos humildemente ao Comité Nobel norueguês. Este prémio traz luz a um caminho que o tratado pretende percorrer até alcançar um mundo livre de armas nucleares. Antes que seja tarde, temos de reconhecer esse trilho", concluiu a organização.

Nenhum comentário:

Clica na imagem

Clica na imagem
Fotos do Mundo

Testa a tua memória

Faz o teu presépio

Faz a tua árvore

Jogo Poluição das Águas

Jogo Eco-Cidade

Jogo Gesto Inteligente Transportes

Joga connosco e aprende!

Jogo interativo em Espanhol

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Jogo "Ser Pessoa"

Os perigos do tabaco

Os perigos do tabaco
Clica, joga e aprende...

Religiões do mundo

Religiões do mundo
Jogo - Para saber mais