quarta-feira, 20 de maio de 2015

Encontro de Sensibilização: S.O.G.A.






Encontro de sensibilização ao voluntariado, pela Associação Promundo - S.O.G.A.

Obrigada pela disponibilidade, partilha e exemplo!
AEMMV

sexta-feira, 15 de maio de 2015

A minha família é a minha casa


 A minha família é a minha casa

Numa família há afeto e exemplo, há limites e respeito, há quem nos aceite como somos sem deixar de nos animar a sermos melhores, sem excessos mas com a paciência de quem ama.
 A solidão absoluta é não ter ninguém a quem dizer um simples: “tenho vontade de chorar”. Não precisamos de muito para viver bem – para ser feliz basta uma família e pouco mais.
 A família é a casa e a paz. O refúgio onde uma vontade de chorar não é motivo de julgamento, apenas e só uma necessidade súbita de... família. De um equilíbrio para o qual o outro é essencial... assim também se passa com a vontade de sorrir que, em família, se contagia apenas pelo olhar.
 Nos dias de hoje vai sendo cada vez mais difícil encontrar gente capaz de ser família. Os egoísmos abundam e cultiva-se, sozinho, o individual. Como se não houvesse espaço para o amor. Dizem que amar é arriscado, que é coisa de loucos...
 Todos temos sentimentos mais profundos. Cada um de nós é uma unidade, mas o que somos passa por sermos mais do que um. Parte de unidades maiores. Estamos com quem amamos e quem amamos também está, de alguma forma, connosco. O amor é o que existe entre nós e nos enlaça os sentimentos mais profundos. Onde uma vontade de chorar é um sinal de que há algo em mim que é maior do que eu... por vezes, nem preciso de chorar.... apenas a vontade me indica o caminho da humildade e do amor. Sozinho não consigo chegar a ser eu...
 Uma verdadeira família é simples. É o lugar onde todos amam e protegem a intimidade de cada um. Ninguém é de uma família à qual não se entrega. Mas não é fácil, nunca. É preciso ser forte o suficiente para dizer não a um conjunto enorme de coisas que parecem muito valiosas, mas que não passam de ocas aparências de valor.
 Há muita gente que gosta de complicar para fugir ao que é simples. Para que me serve um palácio se nele a minha solidão se faz ainda maior? Quantos desistem de lutar pelo amor com a desculpa de que o preço é alto e o prémio pode afinal não valer o esforço? Quantas vezes a falta de amor é vista como paz?
A família é algo simples – puro – mas muitíssimo difícil de alcançar. Implica a renúncia constante aos artifícios do fácil e do imediato. Exige que nos concentremos num caminho longo que acreditamos (sem grandes provas) que é o único que nos pode elevar e levar ao céu.
Numa família há afeto e exemplo, há limites e respeito, há quem nos aceite como somos sem deixar de nos animar a sermos melhores, sem excessos mas com a paciência de quem ama.
 A paz resulta de um equilíbrio de elementos diferentes, com talentos e perspetivas distintos. Não através de um esforço de anulação do que é único de cada um, mas precisamente pela riqueza de o orientar rumo a um fim conjunto e harmonioso. Uma espécie de enriquecimento recíproco dos contrários. Promover o bem do outro não é fazer com que se torne semelhante a mim.  
 A minha casa é o lugar onde eu sou o outro a quem alguém pode expressar o seu “tenho vontade de chorar” sem que eu trace juízos de qualquer espécie, e que lhe faça sentir com o meu silêncio, dedicação e presença que a sua vontade já não é só sua... mas minha também.
A minha família é a minha casa. Até podemos ser apenas dois... mas é aí, e só aí, que posso ser feliz. Longe de casa estou sempre a caminho. O meu coração não descansa senão nos braços de quem tem vontade de sorrir e de chorar comigo.

Dia Internacional da Família



A Assembleia Geral da ONU proclamou, pela Resolução n.º 47/237 de 20 de Setembro de 1993, o dia 15 de Maio como DIA INTERNACIONAL DA FAMÍLIA, com o objetivo de chamar a atenção de todo o mundo, governos, responsáveis por políticas locais e famílias, para a importância da FAMÍLIA como núcleo vital da sociedade e para os seus direitos e responsabilidades. 
O primeiro Dia Internacional da Família foi em 1994.


PARA REFLETIR:

Será que se tem valorizado a Família como a comunidade onde naturalmente se nasce, cresce e morre como pessoa ?
Será que se tem valorizado a Família como a comunidade onde naturalmente se desenvolvem os laços afectivos, solidários e intergeracionais ?
Será que se tem valorizado a Família como a comunidade onde naturalmente se vivem as virtudes humanas que os filhos apreendem pelo exemplo ?
Na Família dá-se e recebe-se ternura, carinho, apreço, segurança, generosidade, partilha, ... numa palavra: AMOR.
Mas..., antes de tudo, a FAMÍLIA é fonte de VIDA.
A Vida é condição prévia à existência de qualquer direito.
Deste modo, o Direito à Vida deve ser defendido por todos.

A FAMÍLIA aberta à Vida é a maior riqueza. Os filhos representam o florescer da Família, são o elo de ligação entre o passado, o presente e o futuro e constituem a Esperança da Sociedade.

adaptado de apfn

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Campanha Pirilampo Mágico 2015

Em 2015, associamo-nos ao Ano Internacional da Luz e ao ano Europeu da Cooperação para o Desenvolvimento. 
Acreditamos que, sustentados na cooperação e virados para o desenvolvimento, seremos capazes de construir uma sociedade onde os direitos e as oportunidades sejam iguais para todos. 
É essa a luz que queremos alimentar com o Pirilampo Mágico.



FAZ ACONTECER!

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Novos Manuais EMRC, em vigor no ano letivo 2015/16

"Aqui ninguém toca" - regra a ensinar às crianças

A regra “Aqui ninguém toca” foi criada pelo Conselho da Europa para ajudar os pais e os educadores a falar sobre o abuso sexual de crianças e pode ser uma ferramenta muito eficaz para prevenir este tipo de crime.

Trata-se de um guia simples de ajuda aos pais na explicação a dar aos seus filhos sobre as partes do corpo que não devem ser tocadas por outras pessoas, como reagir se isso acontecer e onde procurar ajuda.
Mas em que consiste a regra do“Aqui ninguém toca”?

É simples: uma criança não se deve deixar tocar nas partes do corpo normalmente cobertas pela roupa interior assim como não o deve fazer aos outros.

As crianças são as donas do seu corpo e existem segredos bons e maus, assim como contactos físicos bons e maus. 


 Utilizar este livro para lhes explicar de forma simples que "Aqui ninguém toca".

Para mais informações, consulte o site aqui.
publicado por Vera Lourenço de Sousa Aqui

terça-feira, 5 de maio de 2015

O que a Expo de Milão deveria dizer sobre a alimentação

Os patrões da nossa alimentação” é um dossier realizado pelo Centro Novo Modelo de Desenvolvimento (Centro Nuovo Modello di Sviluppo) com a colaboração de Andrea Rosellini e Margherita Brunori. São 22 infográficos para reconstruir a viagem da nossa alimentação desde a química ao nosso prato; 22 infográficos para conhecer as maiores multinacionais que gerem a nossa alimentação, mirando apenas ao próprio lucro. As mesmas multinacionais que se apresentam, hoje, à Expo 2015 como as salvadoras da humanidade, enquanto, na verdade, a sua única preocupação é defenderem os seus interesses económicos.


“De imediato, os fertilizantes garantem um alto rendimento de produção, mas, a longo prazo, o excesso de substancias químicas deteriora os solos até torná-los improdutivos. A nível mundial, perdem-se, cada ano, 75 mil milhões de toneladas de solo fértil. Sem mencionar a contaminação dos rios e dos mares.” Dr. David Pimentel.


A Expo Mundial 2015 realiza-se desta vez na cidade italiana de Milão, de 1 de Maio a 31 de Outubro de 2015. A Expo 2015 tem por tema “Nutrir o planeta, energia para a vida”. Nas palavras dos organizadores, “será o maior evento jamais organizado sobre a alimentação e a nutrição”. Um evento internacional que, dizem, “se vai tornar numa vitrine mundial na qual os Países – são mais de 140 países envolvidos e mais de 20 milhões de visitantes esperados – irão mostrar o melhor das suas tecnologias para dar uma resposta concreta a uma necessidade vital: garantir uma alimentação saudável, segura e suficiente para todos os povos, respeitando o Planeta e o equilíbrio dos seus ecossistemas”.
Mas isso será mesmo verdade? Será que a Expo de Milão está interessada numa confrontação de ideias sobre o tema da alimentação e em promover inovações em vista de um futuro alimentar sustentável?
Antes de responder a estas perguntas, os leitores estão convidados a ler o anexo “Os patrões da nossa alimentação” do grupo de Francuccio Gesualdi. Nele se encontram palavras, dados, números e ideias que, sem dúvida, a Expo de Milão não irá explicar ou, ainda pior, irá esconder.
No dia 1 de Maio, o Papa Francisco, falando aos participantes na cerimónia de abertura da Exposição Universal de Milão 2015, através de uma vídeo-mensagem ao vivo, denunciou o “paradoxo da abundância” e a cultura do desperdício e do descarte, e apelou para uma mudança de mentalidade no sentido de se criar um modelo de desenvolvimento equilibrado e sustentável: “façamos – disse o Pontífice – que esta Exposição Universal seja uma ocasião propícia de mudança de mentalidade; que mude o modo de pensar que as nossas acções quotidianas – em seus diversos níveis de responsabilidade – não têm impacto sobre a vida das pessoas, próximas ou distantes, que têm fome e não se alimentam de modo digno para um ser humano. Estou a pensar em tantos homens e mulheres que sofrem de fome, e, em particular, na multidão de crianças que morrem de fome”.
Em nome dos pobres que “com dignidade, buscam ganhar o pão com o suor do seu rosto”, o Papa dirigiu-se aos empresários, comerciantes e pesquisadores do sector alimentar e pediu-lhes que se sintam comprometidos neste grande projecto de solidariedade: “Que o Senhor conceda a cada um deles a sabedoria e a coragem, porque é grande a sua responsabilidade! O meu desejo é que esta experiência permita aos empresários, comerciantes e estudiosos, sentir-se envolvidos em um ‘grande projecto de solidariedade’: o de nutrir o planeta, no respeito de cada homem e mulher que nele habita e no respeito do ambiente natural. Eis o grande desafio ao qual Deus chama a humanidade deste século XXI: parar, finalmente, de abusar do Jardim que Deus nos confiou, para que todos possam comer dos frutos deste jardim. Assumir tão grande projecto é dar plena dignidade ao trabalho de quem produz e de quem pesquisa no sector alimentar.”
“Na lógica capitalista – diz o estudo ‘Os patrões da nossa alimentação’ –, a terra é apenas um substrato para ser utilizado com a ajuda de ingredientes industriais com o objectivo de obter quantidades sempre maiores de produtos alimentares para vender. Por isso, a viagem na agricultura começa nas empresas de sementes, dos pesticidas e dos fertilizantes.”
Por exemplo, sobre os efeitos dos fertilizantes, o Dr. David Pimentel, perito na produção industrial de alimentos, afirma: “De imediato, os fertilizantes garantem um alto rendimento de produção, mas, a longo prazo, o excesso de substancias químicas deteriora os solos até torná-los improdutivos. A nível mundial, perdem-se, cada ano, 75 mil milhões de toneladas de solo fértil. Sem mencionar a contaminação dos rios e dos mares.”
Ainda de acordo com o mesmo estudo, as sementes e os pesticidas são dois sectores entrelaçados. Muitas das empresas de um estão também presentes no outro. Os dados conhecidos dizendo que “o mercado mundial dos pesticidas vale 41 mil milhões de dólares e que apenas seis multinacionais controlam sozinhas 76 por cento do mercado mundial”.
Para entender melhor estas questões e tantas outras – por exemplo, o comércio mundial de sementes, especialmente as sementes OGM (organismos geneticamente modificados); as terras, as sementes e os países mais transgénicos (OGM) no mundo; a agricultura e o comércio mundial; as indústrias alimentares e as multinacionais da alimentação e da nossa dieta quotidiana – convida-se a baixar e a ler o texto (em italiano) que publicamos em anexo: “Os patrões da nossa alimentação”.
Em nome dos pobres que “com dignidade, buscam ganhar o pão com o suor do seu rosto”, o Papa dirigiu-se aos empresários, comerciantes e pesquisadores do sector alimentar e pediu-lhes que se sintam comprometidos neste grande projecto de solidariedade: “Que o Senhor conceda a cada um deles a sabedoria e a coragem, porque é grande a sua responsabilidade! O meu desejo é que esta experiência permita aos empresários, comerciantes e estudiosos, sentir-se envolvidos em um ‘grande projecto de solidariedade’: o de nutrir o planeta, no respeito de cada homem e mulher que nele habita e no respeito do ambiente natural. Eis o grande desafio ao qual Deus chama a humanidade deste século XXI: parar, finalmente, de abusar do Jardim que Deus nos confiou, para que todos possam comer dos frutos deste jardim. Assumir tão grande projecto é dar plena dignidade ao trabalho de quem produz e de quem pesquisa no sector alimentar.”Papa Francesco.

(© brescia.corriere.it).

Terça-feira, 5 de Maio de 2015   Daqui

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Projeto de Vida: "Carta aberta aos jovens portugueses"

"Se ainda não sabem exatamente qual rota seguir, sugiro o seguinte: Não sigam caminhos fáceis".

A semana passada quando estava a falar com o meu colega John Goodenough, de 91 anos, nomeado várias vezes para o Prémio Nobel, perguntei-lhe o que é que gostaria que lhe tivessem dito quando tinha 17 anos. Ele respondeu: “You can change things”. Este encontro fez-me pensar também no que eu teria gostado que me dissessem. Deixo aqui estes pensamentos.

A primeira prioridade é conhecerem as opções que têm. Não precisam de se sentir com pressa em definir um caminho muito específico. O que é de facto importante é descobrirem aquilo de que gostam. Se querem ser bons profissionais, têm que sentir prazer naquilo que fazem. Poderá parecer fácil definir este percurso. Contudo, esta escolha não é trivial devido à 1) falta de exposição a muitas áreas do saber, 2) dificuldade em avaliar na prática os detalhes da profissão e 3) desconhecer por completo as novas tendências da sociedade. O mundo de hoje avança a uma velocidade estonteante, pelo que temos que nos habituar à constante mudança.

Acima de tudo, é importante não deixarem de seguir os vossos sonhos. Não subestimem o vosso potencial. Aqueles que conseguiram alcançar grandes objectivos na vida começaram como vocês, a pensar, a sonhar. Explorem as opções que existem e escolham aquelas que abram mais hipóteses no futuro, sem abdicar dos sonhos. Três anos antes de publicar o seu primeiro volume da série Harry Porter, a escritora J.K. Rowling tinha acabado de se divorciar, estava desempregada e quase não conseguia juntar o suficiente para alimentar o seu filho. Dada a sua condição económica e sem computador, ela teve que escrever manualmente cada cópia de 200 páginas enviada às editoras. Antes de ser aceite pela Bloomsbury, o livro foi rejeitado dúzias de vezes. Hoje o livro Harry Porter e a Pedra Filosofal já vendeu 100 milhões de cópias.

Neste percurso, se ainda não sabem exactamente qual rota seguir, sugiro o seguinte: Não sigam caminhos fáceis. Há um prazer tremendo em vencer desafios, ir à procura de grandes ideias. Porém, estes grandes projectos não aparecem de imediato. É preciso talento, evidentemente, mas mais importante é dedicar tempo. Qualidade e excelência, seja ela no trabalho ou num relacionamento humano exige dedicação, concentração e capacidade autocrítica. É a superação das dificuldades que origina autoconfiança. Quando Bill Gates tinha 16 anos levantava-se diariamente às 2 da madrugada para ter acesso ao computador gigante da Universidade de Washington entre as 3 e 6 da manhã para programar. Em 1975, quando fundou a empresa Microsoft com apenas 18 anos, Bill Gates tinha já mais de 3000 horas de experiência em programação. Nunca pensem que o sucesso seja limitado pelos contactos pessoais, pelo acaso, pelo divino. Não se conformem com o mais-ou-menos, não deixem tarefas a meio, arrisquem.

Com o risco surgem novas experiências, as quais acompanham novos desafios. Estes percursos fora da zona de conforto, fazem-nos entender melhor aquilo que somos e aquilo que queremos ser. Fazem-nos modestos, pacientes, flexíveis. Abrem as perspectivas relativamente a outras ideias e transmite-nos a capacidade de aceitar o risco, o que aprofunda a maturidade intelectual e encoraja o pensamento independente.

Afinal de contas, a juventude é curta mas as oportunidades são imensas. Segue a tua bússola. Não desistas. Se não fores tu a fazê-lo por ti, ninguém o fará. E como disse o John Goodenough: “Muda as coisas”.
Professor Catedrático, Materials Science and Engineering Program, University of Texas at Austin, USA

domingo, 3 de maio de 2015

Ser mãe não é igual em todo o mundo


Há países onde ser mãe ainda é demasiado perigoso. Na África do Sul os índices de mortalidade materna são muito elevados e Mkhondo é um dos distritos onde a situação é mais grave.

A vida da maioria destas mulheres e raparigas podia ser salva. Bastava que tivessem acesso a cuidados médicos adequados desde o início da gravidez.

Neste Dia da Mãe, não podemos esquecer as mulheres de Mkhondo. 

Assinem e partilhem a petição > AQUI

"Minha Mãe" - ao vivo na Serenata Monumental da Queima das Fitas de 2013


Publicado em 04/05/2013: "Minha Mãe"      
Letra e música de José Afonso, Interpretado ao vivo na Serenata Monumental da Queima das Fitas de 2013.
Gravado ao vivo e transmitido em direto: Coimbra Canal - Televisão Oficial Queima das Fitas de Coimbra

Realização: Rijo Madeira    Produção Executiva: João Rijo Madeira e Manuela Madeira     Direção técnica: Tiago Madeira
Agradecimentos:  Manuel Portugal; Sansão Coelho; Sérgio Portugal Fernandes; Comissão Organizadora da Queima das Fitas 2013
Todos os direitos relativos à gravação vídeo da Serenata Monumental da Queima das Fitas 2013 são exclusivos do Coimbra Canal. A exclusividade abrange todas as plataformas de distribuição de vídeo físicas e digitais.        
  in Youtube.

Poema à Mãe


No mais fundo de ti
Eu sei que te traí, mãe.
Tudo porque já não sou
O menino adormecido
No fundo dos teus olhos.
Tudo porque ignoras
Que há leitos onde o frio não se demora
E noites rumorosas de águas matinais.
Por isso, às vezes, as palavras que te digo
São duras, mãe,
E o nosso amor é infeliz.
Tudo porque perdi as rosas brancas
Que apertava junto ao coração
No retrato da moldura.
Se soubesses como ainda amo as rosas,
Talvez não enchesses as horas de pesadelos.
Mas tu esqueceste muita coisa;
Esqueceste que as minhas pernas cresceram,
Que todo o meu corpo cresceu,
E até o meu coração
Ficou enorme, mãe!
Olha - queres ouvir-me? -
Às vezes ainda sou o menino
Que adormeceu nos teus olhos;
Ainda aperto contra o coração
Rosas tão brancas
Como as que tens na moldura;
Ainda oiço a tua voz:
Era uma vez uma princesa
No meio do laranjal...
Mas - tu sabes - a noite é enorme,
E todo o meu corpo cresceu.
Eu saí da moldura,
Dei às aves os meus olhos a beber.
Não me esqueci de nada, mãe.
Guardo a tua voz dentro de mim.
E deixo as rosas.
Boa noite. Eu vou com as aves.

Eugénio de Andrade

Obrigada, Mãe!



sábado, 2 de maio de 2015

Maio, mês de Maria

Imagem Daqui: Amiguinhos de Deus 

Maria (hebraico: מִרְיָם, MiriamaramaicoMaryāmárabe: مريم, Maryamgrego koiné: Μαριας ou Μαριαμ, ), também conhecida como Maria de Nazaré, é a mulher israelita  de Nazaré, identificada no Novo Testamento e no Alcorão como a mãe de Jesus através da intervenção divina (Mateus 1:16-25Lucas 1:26-56Lucas 2:1-7). Jesus é visto como o messias — o Cristo — em ambas as tradições, dando origem ao nome comum de Jesus Cristo. Maria teria vivido na Galileia no final do século 1 a.C. e início do século 1 d.C., é considerada pelos cristãos como a primeira adepta ao cristianismo.
Os evangelhos canónicos de São Mateus e São Lucas descrevem Maria como uma virgem (grego: παρθένος, parthenos). Tradicionalmente, os cristãos acreditam que ela concebeu o seu filho milagrosamente pela ação do Espírito Santo. Os muçulmanos acreditam que ela concebeu pelo comando de Deus. Isso ocorreu quando ela estava noiva de José e aguardava o rito do casamento, que tornaria a união formal. Casou com José e acompanhou-o a Belém, onde Jesus nasceu. De acordo com o costume judaico, o noivado teria ocorrido quando ela tinha cerca de 12 anos, o nascimento de Jesus aconteceu cerca de um ano depois.
Novo Testamento começa o seu relato da vida de Maria com a anunciação, quando o anjo Gabriel lhe apareceu, anunciando que Deus a escolheu para ser a mãe de Jesus. A tradição da Igreja e os escritos apócrifos afirmam que os pais de Maria eram um casal de idosos, São Joaquim e Santa Ana.
A Bíblia registra o papel de Maria em eventos importantes da vida de Jesus, desde o seu nascimento até a sua ascensão. Escritos apócrifos falam de sua morte e posterior assunção ao céu.
Os cristãos da Igreja Católica, da Igreja Ortodoxa, da Igreja Ortodoxa Oriental, da Igreja Anglicana e da Igreja Luterana acreditam que Maria, como mãe de Jesus, é a Mãe de Deus (Μήτηρ Θεοῦ) e a Theotokos, literalmente Portadora de Deus. Maria foi venerada desde o início do cristianismo. Ao longo dos séculos, tem sido um dos assuntos favoritos da arte, da música e da literatura cristã.
Há uma diversidade significativa nas crenças e práticas devocionais marianas entre as grandes tradições cristãs. A Igreja Católica tem uma série de dogmas marianos, como a Imaculada Conceição de Maria e Assunção de Maria. Os católicos referem-se a ela como Nossa Senhora e a veneram como a "Rainha do Céu" e "Mãe da Igreja", porém, a maioria dos protestantes não compartilha dessas crenças,  atribuindo-lhe um papel mínimo dentro do cristianismo por conta das poucas referências bíblicas sobre sua vida.   in Wikipedia
O terço

Clica na imagem

Clica na imagem
Fotos do Mundo

Testa a tua memória

Faz o teu presépio

Faz a tua árvore

Jogo Poluição das Águas

Jogo Eco-Cidade

Jogo Gesto Inteligente Transportes

Joga connosco e aprende!

Jogo interativo em Espanhol

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Jogo "Ser Pessoa"

Os perigos do tabaco

Os perigos do tabaco
Clica, joga e aprende...

Religiões do mundo

Religiões do mundo
Jogo - Para saber mais