segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

3, 5 toneladas de embalagens compram uma cadeira de rodas para o Martim


Com este espírito de entreajuda, os Clubes de Solidariedade e do Ambiente vão dinamizar uma campanha solidária, até final do ano lectivo, cujo objectivo é ajudar, na aquisição de uma cadeira de rodas para o Martim.


Basta que todos juntem e depositem as suas garrafas de plástico - água, sumos e Coca-Cola - garrafões, com tampa (que têm identificação PET ou PETE, na parte de baixo), nos locais apropriados, na Escola.


Não basta olhar, é preciso agir, por isso, colabora nesta campanha!


Não esqueças: "Grão a grão, enche a galinha o papo"!

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Reflexão: As crianças e os sonhos



A concretização de um sonho, como conhecer os heróis da televisão, é uma coisa «muito boa» para as crianças que devem, contudo, entender que há sonhos que nunca deixarão de o ser, segundo um especialista.
O pediatra Mário Cordeiro falou à agência Lusa a propósito da concretização de fantasias pela organização Terra dos Sonhos, como a de Henrique, sete anos, que conheceu recentemente o Panda, a idolatrada mascote de um canal televisivo.

«É muito bom concretizar um sonho, mas também é bom a criança ter a noção bem clara de que conhecer o Panda, por exemplo, não é uma coisa que se consiga todos os dias», disse.

«Alguns sonhos realizam-se através de projectos bem elaborados - para terem mais hipóteses de não falhar - enquanto outros não passarão disso mesmo, mas tudo bem», sublinhou.

Sobre um encontro desta natureza - entre uma criança e o seu herói - Mário Cordeiro considera que é um ato importante para o menino, mesmo que por vezes os mais pequenos sintam uma atracção-repulsa pela mascote.

Algumas crianças «querem tocar no Mickey ou no Panda, mas depois escondem-se atrás dos pais. Voltam a olhar e, por momentos, vivem dilemas grandes, até que o Panda vai embora e a criança não lhe tocou ou falou, ficando triste e em stress pela oportunidade perdida».

Nessas alturas, defende, «os pais não devem ser moralistas, mas manterem a esperança, dizendo: 'Paciência, desta vez não conseguiste, mas hão-de haver outras oportunidades'».

«Embora pareça paradoxal, sonhar bem e muito é uma boa forma de nos contentarmos com uma realidade que fica sempre aquém», disse.

Sobre a concretização dos sonhos de crianças com problemas de saúde, como o caso do Henrique, que sofre de síndroma nefrótica, uma doença renal crónica, Mário Cordeiro considera que a mesma poderá ter ainda melhores consequências, dado que «estão fragilizadas e a sua capacidade de realização do desejo, e até das actividades básicas do dia a dia, está limitada».


Lusa / SOL 20/2/11

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Carta de um filho a todos os pais do mundo




  • Não me dês tudo o que te peço. Às vezes peço apenas para saber qual é o máximo que posso obter.
  • Não me grites. Respeito-te menos quando fazes isso; e ensinas-me a gritar também. E eu não quero fazê-lo.
  • Não me dês sempre ordens. Se em vez de dares ordens, às vezes me pedisses as coisas com um sorriso, eu faria tudo muito mais depressa e com gosto.
  • Cumpre as promessas, boas ou más. Se me prometeres um prémio, dá-o; mas faz o mesmo se for um castigo.
  • Não me compares com ninguém, especialmente com o meu irmão ou com a minha irmã. Se me fizeres sentir melhor que os outros, alguém irão sofrer; e se me fizeres sentir pior que os outros, serei eu a sofrer.
  • Não mudes tão frequentemente de opinião acerca daquilo que devo fazer. Decide, e depois mantém essa decisão.
  • Deixa-me desembaraçar sozinho. Se fizeres tudo por mim, eu nunca poderei aprender.
  • Não digas mentiras à minha frente, nem me peças que as diga por ti, mesmo que seja para te livrar de um sarilho. Fazes com que me sinta mal e perca a fé naquilo que me dizes.
  • Quando eu fizer alguma coisa mal, não me exijas que te diga a razão por que o fiz. Às vezes nem eu mesmo sei.
  • Quando estiveres errado em algo, admite-o e será melhor a opinião que eu terei de ti. Assim ensinar-me-ás a admitir os meus erros também.
  • Trata-me com a mesma amabilidade e cordialidade com que tratas os teus amigos. Lá por sermos família não quer dizer que não possamos ser também amigos.
  • Não me digas para fazer uma coisa que tu não fazes. Eu aprenderei aquilo que tu fizeres, ainda que não me digas para fazer o mesmo; mas nunca farei o que tu me aconselhas e não fazes.
  • Quando te contar um problema meu, não me digas «não tenho tempo para tolices», ou «isso não tem importância». Tenta compreender-me e ajudar-me. E gosta de mim. E diz-me que gostas de mim. Agrada-me ouvir-te dizer isso, mesmo que tu não aches necessário dizer-mo.
(Marita Abraham)

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

O Amor...


Dei-te os dias, as horas e os minutos

Destes anos de vida que passaram;

Nos meus versos ficaram

Imagens que são máscaras anónimas

Do teu rosto proibido;

A fome insatisfeita que senti

Era de ti,

Fome do instinto que não foi ouvido.



Agora retrocedo, leio os versos,

Conto as desilusões no rol do coração,

Recordo o pesadelo dos desejos,

Olho o deserto humano desolado,

E pergunto porquê, por que razão

Nas dunas do teu peito o vento passa

Sem tropeçar na graça

Do mais leve sinal da minha mão...

Miguel Torga (in «Poemas de Amor» selecção de Inês Pedrosa, D. Quixote)

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Guia para Pais sobre Segurança na NET

Responsabilizando-se pelo acompanhamento dos seus filhos, os pais podem diminuir bastante os potenciais perigos de utilização da Internet. Apresentamos algumas sugestões a ter em conta, quer pelos pais quer pelos filhos:

Evite proporcionar informação de identificação, tal como o nome, direcção postal, direcção da escola ou número de telefone, em ambientes abertos (conversas em directo ou foros de discussão).

Antes de emitir esta informação através de correio electrónico assegure-se de que se trata de alguém que ambos (pai e criança) conhecem e tenham confiança.
Pense cuidadosamente antes de relevar informação como a idade, estado civil ou informação financeira.
Não afixe fotografias das crianças em locais da Web disponíveis ao grande público.
Considere utilizar um pseudónimo e previna o seus filhos para nunca dar o seu nome e apelidos. Evite também alistar o seu nome e endereço electrónico em todos os portais públicos.
Não permita que uma criança marque uma reunião presencial com outro utilizador da rede sem a sua permissão. Se esta se vier a realizar, deve ser efectuada num lugar público e na sua companhia.
Nunca responda a mensagens insinuantes, obscenas, agressivas, que sugiram fins menos lícitos ou que lhe causem incómodo. Incentive as crianças a comunicar-lhe se encontrarem mensagens deste tipo.

Informe os seus filhos que não devem abrir nenhum endereço Internet associado a uma mensagem electrónica, caso provenha de pessoas ou organizações desconhecidas.
Estas ligações podem conduzir a locais inadequados ou accionar programas que contenham vírus informáticos.
Se alguém enviar para os seus filhos mensagem ou imagens obscenas, imorais ou indecentes, com a intenção de molestar, abusar, maltratar, ou de o tornar meio de transmissão.

Se não conseguir terminar com este problema pela simples opção de não responder e ignorar estes "ataques", recomendamos que comunique estes acontecimentos aos
serviços nacionais vocacionadas para a protecção das crianças ou para a esquadra da Polícia de Segurança Pública mais próxima de sua casa.
Recorde que as pessoas em linha nem sempre são o que parecem.

Como a maior parte dos serviços não nos permite ver ou mesmo ouvir as pessoas que connosco interagem é muito fácil que alguém deturpe a sua verdadeira identidade.
Assim, uma pessoa que diz ser uma rapariga de 15 anos, pode ser na realidade um homem de 45.

Nem tudo o que lemos na Internet é necessariamente verdadeiro.
Qualquer proposta ou oferta que seja "demasiado boa para ser real" é provavelmente falsa. Tenha muito cuidado com iniciativas que solicitem a sua presença em reuniões, que pretendam a visita de alguém a sua casa ou que lhe façam facultar informações pessoais.
Estabeleça limites e regras razoáveis às crianças acerca da utilização do computador e da Internet.

Discuta estes aspectos com elas e coloque-as bem perto para funcionarem como lembrança. Supervisione o cumprimento destes limites, especialmente o tempo que passam nestas actividades.
O uso excessivo da Internet por uma criança, particularmente à noite, é o indício de que pode haver um problema potencialmente latente.
Os computadores pessoais e a Internet não devem ser encarados pelos pais como baby-sitter electrónicos.

Faça das suas actividades na Internet uma experiência familiar (sobre este tema, recomendamos a leitura do Livro "A Família em Rede" de Seymour Papert; Edição Relógio d'Água).
Ponha o computador na sala de estar, ou numa sala frequentemente utilizada por toda a família, e trabalhe amiúde com os seus filhos.
Conheça todos os seus amigos e principalmente os seus "amigos online".
Conheça os serviços que o seu filho utiliza, por exemplo, que canais frequenta nas conversas em directo e que tipo de temas se discutem ali.

Se não sabe como funcionam faça com que ele, ou outra pessoa, lhe mostre como se utilizam.
Tenha presente que, mesmo que instale ou contrate um serviço de supervisão e controlo de conteúdos, nem o melhor programa de monitorização de informação pode substituir a presença e orientação de um adulto.


Adaptado da brochura "Child Safety on the Information Highway" de Lawrence J. Magid do National Center for Missing and Exploited Children.
In
www.minerva.uevora.pt/internet-segura/

8 de Fevereiro: Dia Europeu da Internet Segura


A comunicação e a publicação de informação na Internet não é supervisionada por nenhuma entidade. A maior parte dos seus serviços encontra-se à disposição dos utilizadores (entre eles, os mais jovens) sem qualquer restrição ou controlo.
Pensar que a Internet não encerra perigos ou que estes só afectam os outros é assumir uma atitude distante e pouco informada. Por outro lado, adoptar visões alarmistas só ajuda a ocultar a realidade.

Tomar consciência dos riscos, estar informado de como os prevenir ou minimizar, orientar as actividades das crianças e adolescentes na Internet, podem ser as chaves para garantir uma utilização em segurança.

Como já referimos, existem alguns riscos para as crianças que usam a Internet. Contudo, os jovens (adolescentes) estão particularmente em risco porque frequentemente utilizam o computador sem supervisão familiar e porque é mais provável que visualizem páginas ou participem em conversas em linha relacionadas com actividades sexuais.

Alguns dos riscos são:

1) Exposição a material inapropriado
Um dos riscos é que a criança fique exposta a material inapropriado de índole sexual ou de natureza violenta, ou que a incentive a realizar actividades que são perigosas ou ilegais. Podem, além disso, encontrar inadvertidamente informação que seja degradante ou ofensiva.
2) Abuso físico
Outro risco é que, enquanto em linha, uma criança pode fornecer informação ou proporcionar encontros que ponham em causa a sua segurança ou a de outros membros da sua família. Em alguns casos, os pedófilos usaram o correio electrónico e os grupos de conversação em directo para ganhar a confiança de uma criança e conseguir uma reunião face-a-face.
Pedofilia: Saber, compreender, actuar!Da Internet ao mundo da pedofilia

3) Abuso legal e financeiro
Um terceiro risco pode ter a ver com consequências negativas do ponto de vista legal e financeiro, devido ao facto de uma criança ou jovem fornecer o número do cartão de crédito de um familiar ou fazer algo que viole os direitos de outra pessoa. Às crianças, devem ser ensinadas as principais regras de segurança na Internet e os princípios da "Netiqueta" (etiqueta da rede) e formas de evitar ser indelicado, mesquinho ou ofensivo.

INTERNET: Mais de metade dos adolescentes portugueses usam a net sem supervisão dos pais - estudo


Mais de metade dos adolescentes portugueses (67 por cento) utilizam a Internet sem qualquer supervisão por parte dos pais, indica um estudo realizado pela Microsot a nível europeu divulgado hoje. No estudo, que contou com a participação de 2.787 jovens portugueses, com idades entre 14 e 18 anos, é analisada a importância das redes sociais nos hábitos e atitudes dos adolescentes europeus e surge no âmbito do Dia Europeu da Segurança na Internet (terça-feira) com o objectivo de alertar os jovens, pais e professores para uma utilização segura da Internet.O director-geral da Microsoft em Portugal, Nuno Duarte, considera que "a geração web actual vive cada vez mais na área digital". "O aparecimento dos meios sociais contribuiu para que os jovens se tornassem utilizadores sofisticados da web, mas continuam a precisar de ajuda e orientação para fazer face a problemas emergentes, tais como o 'bullying' (assédio) online", justifica.Setenta e três por cento dos adolescentes portugueses afirmam estar cientes do 'perigo de estranhos' na Internet e como se proteger, mas o número crescente de vítimas de "bullying" online a nível internacional sugere um longo caminho a percorrer.Os adolescentes nos países nórdicos, em particular, estão a sofrer nas mãos de utilizadores mais perigosos na Internet.Metade dos inquiridos na Noruega foi vítima de "bullying", tal como 45 por cento na Dinamarca.Em contraste, 90 por cento dos adolescentes italianos e 87 por cento dos jovens espanhóis e portugueses afirmam nunca ter sido vítima de problemas desta natureza online.O estudo revela ainda que os adolescentes europeus relatam poucas restrições à utilização da Internet, indicando que 51 por cento navegam sem qualquer supervisão parental.Quase um quarto (22 por cento) dos adolescentes europeus continua a não utilizar definições de privacidade para restringir o acesso geral às suas informações pessoais, enquanto 27 por cento apenas as usa ocasionalmente.Os adolescentes espanhóis (45 por cento) são os mais permissivos em termos de partilha das suas informações pessoais, enquanto a maioria dos adolescentes portugueses (62 por cento) e dinamarqueses (59 por cento) é mais cuidadosa no bloqueio do acesso aos seus dados pessoais por parte de estranhos.Na Suíça e na Finlândia, 46 por cento publicam regularmente fotografias pessoais online.Para comemorar o Dia Europeu da Internet Segura, a Microsoft Portugal, em parceria com a Associação de Empresários pela Inclusão Social (EPIS), promove terça-feira em escolas uma acção nacional de voluntariado para sensibilização sobre o tema da "Segurança na Internet".

Lusa(10-02-2009)

Benefícios e riscos do uso da INTERNET

A Internet é um lugar fantástico onde podes falar com gente de todo o mundo e fazer novos amigos, aprender coisas sobre determinados assuntos e passar momentos divertidos. Mas, para poderes beneficiar de todas as vantagens da Internet, é fundamental que a utilizes em segurança, sendo importante que:


- tomes consciência que o computador é uma ferramenta que serve para comunicar de uma maneira positiva;
- saibas distinguir entre os conteúdos recomendáveis e não recomendáveis; - tenhas consciência de que na Internet há pessoas de todo tipo, como em qualquer outro lugar;
- saibas reagir de maneira responsável e resolver possíveis situações de risco.

De acordo com os técnicos da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV), a Internet é um dos veículos mais utilizados pelos pedófilos. Por isso, é preciso muita atenção.

Os predadores online estabelecem contacto com crianças através de conversas em salas de chat, mensagens instantâneas, correio electrónico, ou fóruns de debate.
Muitos adolescentes recorrem a fóruns online de apoio para lidar com os seus problemas.
Os predadores visitam estas áreas online com frequência, para procurar vítimas vulneráveis.

Gradualmente, os predadores online tentam seduzir os seus alvos através da atenção prestada, do afecto, da simpatia e mesmo de presentes; muitas vezes, despendem bastante tempo, dinheiro e energia neste esforço de aproximação.
Estão a par das músicas e dos passatempos mais recentes, que provavelmente despertam o interesse das crianças. Ouvem os problemas das crianças e mostram empatia com elas.
Para tentar diminuir as inibições dos jovens, gradualmente vão introduzindo conteúdos sexuais nas conversas, ou mostram-lhes material sexualmente explícito.

Por exemplo, um guia do Departamento Federal de Investigações (FBI), dos Estados Unidos, alerta contra pessoas que imediatamente começam a falar sobre sexo. Também avisa sobre aqueles que “aos poucos seduzem as vítimas por serem afectuosos, bondosos, por darem atenção e até mesmo presentes”.

Descrevendo métodos específicos dos predadores, esse guia diz: “Eles escutam e mostram-se preocupados com os problemas da criança. Estão a par de seus interesses, passatempos e dos lançamentos musicais. O seu objectivo é aos poucos diminuir a inibição delas por gradualmente introduzir matéria e assuntos sexuais na conversa.”

Uma das ciladas das salas de chat é dar a impressão de que é mais fácil comunicar-se na internet do que com os membros da família.
Os seus colegas da internet talvez pareçam interessados nas suas opiniões e em expressar abertamente os seus sentimentos.
Os membros da sua família, por outro lado, talvez pareçam estar muito ocupados para ouvir as suas preocupações e talvez achem difícil expressar-se abertamente.

Alguns predadores adoptam um modo de actuação mais rápido do que outros e encetam de imediato conversas de teor sexualmente explícito.
Esta abordagem mais directa pode incluir assédio, podendo também o predador começar a perseguir a sua vítima.
Os predadores também podem avaliar as crianças que conhecem online, para posterior contacto pessoal...

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Visita de Estudo - Lisboa - 9ºano

Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente
in Auditório do Colégio S. João de Brito - Lisboa
Almoço

Visita ao Museu do Oriente

O Museu do Oriente define-se como uma unidade museológica permanente, aberta ao público, tutelada pela Fundação Oriente, tendo por missão a valorização dos testemunhos quer da presença portuguesa na Ásia quer das distintas culturas asiáticas.
Trata-se de um museu de âmbito territorial internacional e de carácter transdisciplinar, que procura, através do cruzamento de pontos de vista emergentes dos campos temáticos da História, da Arte e da Antropologia, proporcionar aos Portugueses e aos que nos visitam uma memória viva e actuante das culturas asiáticas e da relação secular que foi estabelecida entre o Oriente e o Ocidente, principalmente através de Portugal.
A esses campos temáticos corresponde um diversificado património cultural de interesse histórico, artístico, documental, etnográfico e antropológico relacionado tanto com a cultura popular e as religiões orientais como com os mais variados aspectos da presença portuguesa na Ásia ao longo de cinco séculos.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

O Ano do Coelho

No dia 3 de Fevereiro, começou um novo ano chinês, o ano do Coelho, que se caracteriza por articulação, ambição, controle, afeição, cooperação, amizade e sentimentalismo. Este ano terminará a 22 de Janeiro de 2012.

O Coelho é o quarto signo do Zodíaco Chinês e é um símbolo de sorte.

As comemorações do Novo Ano Chinês também se designam por "Spring Festival" e são o mais importante evento na cultura chinesa. Estas festividades começam no 1º dia do mês lunar e terminam no 15º. São dias muito significativos para os Chineses, em que as famílias se reúnem. Grande parte da população chinesa tem, durante estas comemorações, 7 dias de descanso.

Imagem trazida do Museu do Oriente- Lisboa

Curiosidades:
No primeiro dia do novo ano, normalmente visitam-se os amigos e os vizinhos.
Esta época - entre o primeiro e o sétimo dia do novo ano - é feriado na China, em Hong Kong, em Macau, em Taiwan, na Malásia, em Singapura e no Vietname.
Mantém-se o ancestral costume de limpar a casa, porque o pó se associa ao que é velho, pelo que a limpeza abre espaço para o novo. Estas limpezas são feitas com alegria e esperança no novo ano.
À porta das casas são penduradas linhas de versos, normalmente em número par, símbolos de boa sorte. São quase sempre vermelhas, cor da propsperidade, expressando bons desejos.

Na passagem de ano, os Chineses gostam de se reunir em praças públicas onde exista um sino, fazem em conjunto a contagem descrescente e celebram com o primeiro toque. Também é frequente que se desloquem para templos nas montanhas.
É suposto que passem essa noite acordados ou que se deitem muito tarde. É um momento propício para o convívio entre familiares e amigos. As refeições são abundantes, os pratos variam de região para região.

Um costume igualmente importante são os fogos de artifício, mas actualmente proibidos por lei em algumas zonas, por razões de segurança.
No primeiro dia do ano, todos devem usar roupas novas.

Os mais jovens devem visitar os mais velhos, as famílias visitam-se mutuamente (essas visitas chegam a prolongar-se por semanas).
Os votos trocados são sobretudo de boa sorte e felicidade.
Para saber mais, vide Wikipedia

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

A situação no Egipto




imagens retiradas da internet - infografias Sapo Notícias

Clica na imagem

Clica na imagem
Fotos do Mundo

Testa a tua memória

Faz o teu presépio

Faz a tua árvore

Jogo Poluição das Águas

Jogo Eco-Cidade

Jogo Gesto Inteligente Transportes

Joga connosco e aprende!

Jogo interativo em Espanhol

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Jogo "Ser Pessoa"

Os perigos do tabaco

Os perigos do tabaco
Clica, joga e aprende...

Religiões do mundo

Religiões do mundo
Jogo - Para saber mais