domingo, 31 de outubro de 2010

Happy Halloween!

Dia Mundial da Poupança

Os dez erros mais comuns na gestão das finanças

Em época de crise, todos os conselhos são bem-vindos para que a nossa conta bancária não entre no vermelho. Há pequenos truques que nos podem ajudar a poupar algum dinheiro.
Antes de mergulhar nos pecados financeiros, convém imaginar que vamos passar pelo confessionário. Quando formos às compras, façamos o seguinte exercício, perguntando aos nossos botões: "desejo ou necessito disto"?
Ou seja, quando pegamos na carteira ou no cartão de crédito para comprar algo, devemos questionar se realmente aquele bem nos faz falta. O importante é sermos honestos connosco mesmos. Esta pergunta funcionará como uma consciência financeira que falará ao nosso ouvido de cada vez que pensarmos em adquirir algo. Talvez assim domine o impulso da compra e consigamos poupar alguns euros.
É verdade, os apelos são muitos. A publicidade oferece, de bandeja, corpos esbeltos, férias de sonho, automóveis topo de gama, crédito mais barato… A montra de compras não tem fim. Estilo e glamour estão à distância de um simples digitar de código nas máquinas Multibanco, enquanto as dívidas se vão acumulando. É uma bola de neve que, sem controlo, pode transformar-se numa avalanche, levando ao congelamento das nossas poupanças.
Alexandre Herculano, historiador do século XIX e difusor do romantismo em Portugal, escreveu: “O desejo mede os obstáculos. A vontade vence-os.” Eis a chave para os nossos problemas. Basta termos força de vontade, disciplina espartana e visão de futuro. Isto para chegar à idade da reforma e ter dinheiro para gozar a vida.
Lembremo-nos: nunca teremos tanto tempo livre. Uma estratégia que podemos utilizar para não sucumbir a tentações é assumir compromissos connosco mesmos. Traçar metas e cumpri-las. A esta altura estamos a pensar: mas como podemos evitar os erros mais comuns no que toca à gestão do nossodinheiro? Vejamos abaixo:
1. Não aprender com os erros dos outros. Sai muito mais barato aprender com as cabeçadas alheias. O “desfalque” não será na nossa conta bancária. Só com esta dica já está a amealhar uns trocos!

2. Gastar mais do que se tem. Há pessoas que, para manter o estatuto social, vivem como o lençol dos pobres: puxam em baixo para tapar em cima, acabando por ficar com os pés de fora. A dura realidade é que este pano é como o ordenado, não estica. Façamos contas à vida e organizemos as nossas finanças pessoais.

3. Não controlar o nosso dinheiro. Ficar no vermelho porque teve um acidente de percalço não é vergonha para ninguém. O crédito bancário existe para isso. Mas pagar juros no cartão de crédito é um erro que pode custar-lhe caro. Os juros podem chegar aos 30%. Se começar a ficar endividado, assuma o problema. Faça um plano de raiz, ou contacte a Deco (www.deco.pt) que tem um serviço que o ajudará a reequilibrar o orçamento. Até porque utilizar parte do seu rendimento para pagar juros ao banco é baixar o seu padrão de vida.

4. Não ter reservas para as emergências. Nunca fique no fio da navalha. Convém ter de parte pelo menos o montante necessário para sobreviver seis meses sem emprego. Claro que tem de ter em consideração o seu estilo de vida. E esta conta não deve ser misturada com as poupanças de longo prazo. Deve estar aparte. Pode, por exemplo, subscrever um produto em que possa levantar a poupança em qualquer altura. O objectivo é preservar o valor do dinheiro.

5. Não se preocupar com os pequenos gastos. Há quem considere apenas os grandes e esta é uma visão errada. A compra de casa ou de carro estão no topo das preocupações das famílias levando-as a descurar as pequenas despesas, caso das compras no supermercado, factura da luz, água, telefone, roupas e jantaradas fora. Mas já diz o ditado: “Grão a grão enche a galinha o papo.” Preste atenção aos detalhes, pois ficará surpreendido com as poupanças acumuladas.

6. Nunca cumprir os objectivos financeiros a que se propôs. Imagine que decide poupar para comprar casa. No caminho não resiste à tentação de uma promoção com o descapotável dos seus sonhos. Erro crasso. Este deslize pode ser o passe para entrar na lista dos endividados. Só nos devemos desviar quando um percalço sucede na nossa vida, caso de desemprego ou doença súbdita.

7. Nunca ter em conta a inflação, apesar desta indicar o custo de vida. O preço do dinheiro. Só para ter uma ideia: a inflação pode anular parte ou todo o ganho que o investidor acredita estar a obter numa determinada aplicação financeira. Além disso, para amealhar para o futuro terá de fazer contas para ver de quanto precisará daqui a X anos porque o dinheiro será decerto mais caro nessa altura.

8. Não investir em produtos que conhece e não ter em conta o seu perfil de risco. Se não compreender onde está a aplicar o seu dinheiro, é preferível colocá-lo debaixo do colchão. Informe-se sobre as características da aplicação, do rendimento, se pode ou não perder dinheiro. Além disso, veja se está preparado para correr riscos. Há uma regra do mercado financeiro que diz que quanto maior for o risco, maior poderá ser o ganho. Mas a perda também será superior. Estude bem qual o seu perfil de investidor. Peter L. Bersntein, autor do livro Desafio aos Deuses: A Fascinante História do Risco, garante que a melhor forma de contornar este problema é aprender a gerir o risco em vez de evitá-lo. No dia-a-dia já o faz, de várias maneiras. Por exemplo, tenta não levantar dinheiro à noite num local escuro para evitar a possibilidade de ser assaltado. Certo? Já agora uma dica: nunca coloque todos os ovos no mesmo cesto. Ou seja, diversifique o seu dinheiro, aplicando-o numa conta à ordem, PPR, fundos, acções, pintura, numismática… Assim, caso algo corra mal, uns cobrem os outros.

9. Usar mais a emoção do que a razão na hora de investir pode causar alguns dissabores. Suze Omar, consultora financeira americana diz: “Para se sentir livre em relação ao dinheiro é essencial perder o medo que se tem dele.” O mercado accionista é bom para medir o seu grau de resistência, pois a turbulência das bolsas é uma óptima escola. Claro que imprópria para cardíacos ou pessoas muito conservadoras a investir. Que odeiam arriscar! Se decidir experimentar, faça-o com dinheiro que não lhe faça falta e peça ajuda a especialistas do ramo, sob pena de perder as poupanças.

10.Não aprender a administrar o seu dinheiro, porque tem um gestor de conta. É fundamental começar a entrar na linguagem financeira e transformar-se num verdadeiro Tio Patinhas. Está na hora de aprender o bê-á-bá das finanças pessoais e começar a multiplicar o seu património.
@Teresa Cotrim(adaptado), 31 de Outubro de 2010, in Sapo

sábado, 30 de outubro de 2010

A hora de Inverno está aí...

Nesta madrugada, os relógios vão recuar uma hora, dando início ao horário de Inverno, que se prolongará até Março de 2011, altura em que regressa a hora de Verão.
O próximo domingo será o dia mais longo do ano, com 25 horas, uma vez que a hora legal é atrasada em 60 minutos quando forem 02:00 em Portugal Continental e na Região Autónoma da Madeira, passando para a 01:00.
Na Região Autónoma dos Açores, a mudança será feita à 01:00 da madrugada de domingo, passando para a meia-noite, segundo o Observatório Astronómico de Lisboa.
A mudança de hora resulta de uma directiva comunitária e acontece em toda a União Europeia, continuando a verificar-se as diferenças horárias entre os países dos três fusos horários que atravessam o continente europeu.
Os três fusos horários colocam Portugal, Grã-Bretanha e Irlanda na mesma hora do meridiano de Greenwich, enquanto a maioria dos países se regulam pelo meridiano de Berlim, com um avanço de 60 minutos.
Este recuo nos ponteiros dos relógios acontece sobretudo por razões civis, uma vez que, do ponto de vista astronómico, apenas faria sentido uma correcção de 37 minutos, explicou, citado pela Lusa, o director do Observatório Astronómico de Lisboa.
Rui Agostinho precisou que a hora do meridiano de Greenwich está desfasada 37 minutos em relação à hora solar.
A mudança de hora deve-se a uma directiva que determina que os países da União Europeia devem entrar na hora de Verão no último domingo de Março e adoptar a hora de Inverno no último domingo de Outubro, independentemente do fuso horário em que se encontrem.
in TVI24, adaptado.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Chiara Luce Badano

Bullying pode dar prisão a alunos com mais de 16 anos


O Conselho de Ministros aprovou uma proposta de criminalização do bullying. A proposta será presente ao Parlamento com o objectivo de aprovação de uma lei sobre violência escolar e bullying.
Alunos com idades entre os 12 e os 16 anos que pratiquem actos graves de violência na escola ficam sujeitos a medidas educativas tutelares.
Alunos com mais de 16 anos que pratiquem agressões físicas e sexuais graves podem ser condenados a penas de prisão de 1 a 5 anos. Se desses actos resultar a morte da vítima, a pena de prisão pode atingir os 10 anos. Sempre que se registem ofensas graves à integridade física, a pena de prisão pode ser agravada entre 2 a 8 anos.

(...)
Chega de desresponsabilizar aqueles que maltratam colegas mais novos e prejudicam a aprendizagem dos que querem estudar.
Posted by Ramiro Marques, in Profblog.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Campanha "Um brinquedo... mil sorrisos"


Campanha de 2 a 12 de Novembro na nossa Escola!
Sê Solidário!
Participa!

domingo, 24 de outubro de 2010

Os Simpsons são católicos?

O jornal oficial do Vaticano, “L’Osservatore Romano”, voltou há dias a falar da família Simpson. Luca M. Possati escreveu que “«Os Simpson» é dos poucos programas de televisão onde a fé cristã, a religião e a necessidade de Deus são temas recorrentes”, isto quando, como referiu um comentador, as figuras religiosas que aparecem na televisão e no cinema tendem a “ser milagrosamente boas ou puras e monstruosamente malignas ou hipócritas”. A série de animação sugere, que se pode participar na missa sem ser um fanático religioso ou um santo, mesmo que Homer durma na primeira fila da Igreja...
Por cá, sairam as seguintes notícias:
In Público, de 19 de Outubro

In revista Focus, de 20 de Outubro



In Jornal i, de 20 de Outubro

Normas para a Internet...


In Revista Juvenil, Outubro 2010

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

17º Peditório da AMI

A Assistência Médica Internacional (AMI) iniciou hoje o seu 17.º peditório nacional de rua, que se estende aos centros comerciais, aos principais hipermercados, bem como a Escolas de todo o país.
Os nossos alunos já estão a colaborar neste peditório, que vai decorrer até domingo.
Segundo a organização, esta campanha pretende "recolher fundos para as missões internacionais e para o projecto de acção social desenvolvido em Portugal e perceber qual a percepção que os cidadãos têm da AMI e da sua acção humanitária".

O dinheiro arrecadado durante os quatro dias servirá também para "continuar a apoiar as vítimas de guerras e de catástrofes naturais a nível internacional e as vítimas de exclusão social e de pobreza extrema" em Portugal.

LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A. (acrescentado)

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Dia Internacional Contra o Tráfico de Seres Humanos - 18 de Outubro


Não se sabe em concreto quantas vítimas de tráfico existem sendo certo que tentar quantificar um fenómeno criminoso que tem como elemento base a invisibilidade, será uma tarefa perto de impossível.


Apesar disso, segundo o Relatório sobre Tráfico de Seres Humanos de 2007 do Departamento de Estado dos EUA, e de acordo com a OIT - Organização Internacional do Trabalho, estima-se que em todo o mundo haja 12,3 milhões de pessoas traficadas para fins de exploração laboral, sexual e servidão, enquanto outras entidades referem números que variam entre os 4 e os 27 milhões de vítimas.


A propósito do Dia Internacional Contra o Tráfico de Seres Humanos (18 de Outubro), a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima reafirma a importância do combate a este problema transnacional. O tráfico de pessoas é uma violação dos Direitos Humanos, não uma questão de imigração ilegal. Os seres humanos objecto do tráfico são vítimas de crime e de violência.

As vítimas do Tráfico de Seres Humanos são pessoas que são convencidas por promessas de melhores condições de vida ou forçadas a sair do seu país.


Vêm sem conhecer ninguém para além de quem os está a traficar, sem saber a língua, a cultura, a geografia dos países que passa ou do país de origem:


- São muitas vezes vítimas de agressões físicas e/ou psicológicas.

- São coagidas ou forçadas a não sair de um determinado espaço, sempre com o estigma das autoridades policiais como elementos punitivos e com poderes de expulsão para o país de origem.

- Não lhes são pagas as remunerações correspondentes ao seu trabalho somando muitas vezes, em vez disso, dívidas virtuais criadas pelos traficantes para manterem o controle sobre a vítima.

- Não raras vezes são-lhes retirado o passaporte bem como outro qualquer documento de identificação para impedir qualquer possibilidade de fuga.

- Também crianças são alvos deste crime, de facto, estas e/ou os seus pais, são aliciadas, vendidas, oferecidas, enganadas por traficantes para serem exploradas para fins sexuais, de trabalho ou extracção de órgãos.


Face ao novo Código Penal, que recentemente entrou em vigor, quem oferecer, entregar, aliciar, aceitar, transportar, alojar ou acolher pessoas para fins de exploração sexual, exploração do trabalho ou extracção de órgãos através dos meios acima descritos, é punido com pena de prisão de três a dez anos, ou de três a doze caso actue profissionalmente ou com intenção lucrativa. Caso sejam crianças, são punidos independentemente dos meios utilizados.


Fonte: APAV

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Campanha "Levanta-te e actua 2010"


SEGUNDA-FEIRA, DIA 18, ÀS 12h00m, nas Escolas do Agrupamento, vamos dizer NÃO à pobreza!
Não fiques indiferente!!!
Levanta-te e actua, na tua turma, enquanto se lê o Manifesto!!!

terça-feira, 12 de outubro de 2010

‎17º Peditório Nacional da AMI: 21 a 24 de Outubro

Inicia-se no próximo dia 21 de Outubro, o 17º Peditório Nacional de Rua da AMI. A acção prolonga-se até Domingo, dia 24 em todo o território nacional, Continente e Ilhas.
Centenas de voluntários da AMI (também no nosso Agrupamento*) vão estar presentes nas ruas, em centros comerciais e nos principais hipermercados de Portugal e, graças ao apoio dos núcleos da AMI, o peditório de rua da AMI cobrirá pelo sétimo ano consecutivo, praticamente todo o território nacional.
O Peditório Nacional de Rua tem um duplo objectivo: por um lado, recolher fundos para as nossas missões internacionais bem como para o projecto de acção social desenvolvido em Portugal; por outro, contactar com as pessoas para perceber qual a percepção que o cidadão comum tem da AMI e da Acção Humanitária e se possível sensibilizá-lo para uma intervenção mais directa e pessoal numa causa. Durante os quatro dias de peditório, a população pode contribuir para a AMI quando abordada pelos voluntários.
É igualmente importante salientar que se trata de um peditório de rua e não de porta a porta, pelo que os donativos apenas deverão ser entregues a voluntários devidamente identificados e credenciados pela Assistência Médica Internacional que abordem as pessoas em locais públicos.
A AMI renova assim o apelo à sociedade civil, afinal o principal garante da sua força e independência, para a ampla participação nesta acção. Para isso, a AMI solicita à Comunicação Social a máxima divulgação deste peditório para que a população esteja informada sobre a sua existência e credibilidade.
Departamento de Informação e Comunicação da Ami
Post sriptum: Fala com a tua professora de EMRC e requisita um cofre para seres voluntário(a)!!!

"Os pais educam com um 'sim' a tudo"

"Muitos pais não sabem ser pais. Educam com um 'sim' a tudo. Fazem o que podem, cansados, e com o pouco tempo que têm, dando tudo às crianças para compensar as suas ausências. Não admira que depois, em adolescentes, estes não tenham o mínimo de regras e de respeito pelos pais." A opinião é de Maria Saldanha Pinto Ribeiro, especialista em mediação familiar, que há muitos anos acompanha os "problemas de autoridade" dos pais em relações aos filhos. "As crianças crescem habituadas a querer e a ter tudo. Não são educadas com valores, mas com idas aos shoppings e com compras. Não crescem em ambientes onde há uma hierarquia e autoridade mas a achar que somos todos iguais", acrescenta a presidente do Instituto Português de Mediação Familiar. Maria Saldanha Pinto Ribeiro considera que ainda mais grave é a falta de autoridade nas escolas. "Ao retirar autoridade aos professores, o Estado só está a deseducar as crianças", acrescenta a mediadora familiar.
in DN, 12/10/10.

Pais de jovens em risco 'entregam' filhos ao Estado

Conflitos e situações de risco para os menores levam pais a pedir intervenção.

António começou a faltar às aulas, a passar dias e noites fora de casa e iniciou-se na droga ainda adolescente. Os pais foram chamados à escola mas, quando de casa começaram a desaparecer alguns objectos, deixaram de conseguir exercer a sua autoridade e a situação ficou descontrolada. Desesperados, foram pedir à comissão de protecção de menores o internamento do filho numa instituição.

Casos como o de António são cada vez mais frequentes e estão a chegar às comissões de protecção de crianças e jovens em risco e aos tribunais pela mão de pais desesperados, que vêem os filhos a entrar em situações de risco mas são incapazes de fazer valer a sua autoridade e evitar esse perigo.

Só no ano passado, os pais sinalizaram às comissões 2342 situações de filhos em risco. Ou seja, 8,8% dos casos acompanhados pelos técnicos foram dados a conhecer pelos progenitores, enquanto em 2007 a percentagem era apenas de 7,1%. "Significa que os pais estão a pedir mais ajuda e reconhecem dificuldades em responder à situação de perigo dos filhos, seja porque estes têm problemas de comportamento seja de saúde mental", afirmou ao DN Armando Leandro, presidente da Comissão das Crianças e Jovens em Risco. Este aumento pode também evidenciar uma maior confiança dos pais nos técnicos.

Contudo, ressalva, a institucionalização é sempre a última solução, só se aplica quando todas as outras falham e em 7% ou 8% dos casos. Mais de 90% das situações resolvem-se com uma intervenção junto da família. "Ouvimos, acompanhamos, fazemos o diagnóstico e fomentamos a formação e capacitação dos pais para uma parentalidade positiva que introduza regras e valores", diz.
Edmundo Martinho, presidente do Instituto de Segurança Social (ISS), também reconhece o aumento deste fenómeno que já vem referenciado no último relatório de caracterização das crianças em acolhimento como um problema para o qual é preciso encontrar novas respostas. "São os próprios pais que pedem apoio, quando, depois de já terem tentado tudo, reconhecem que o risco dos filhos é muito grande. Nestes casos torna-se tudo mais difícil porque as crianças resistem a ser acolhidas."

Para o presidente do ISS, esta incapacidade parental decorre também de novos comportamentos de risco das crianças e jovens na sociedade actual, associados a uma adolescência mais precoce, a consumos de álcool e drogas.

"Os pais vêm pedir para ficarmos com os miúdos porque sentem que a única solução é o seu acolhimento. Se a criança tem mais de 12 anos e se opõe, o internamento tem de ser decretado pelo tribunal", acrescenta António Fialho, juiz do Tribunal de Menores do Barreiro. "Estas crianças não praticaram crimes para necessitar de internamento no sistema tutelar educativo mas encontram-se em risco. São causadoras do seu próprio risco. São marginais e os pais pedem ajuda para resolver o problema, entregando-os."

António Fialho explica que este fenómeno se verifica também nas famílias da classe média e até alta e não se explica apenas pelas carências socioeconómicas. "Os filhos mandam nos pais e estes acabam por reconhecer que não são capazes de os educar. As responsabilidades parentais continuam a ser dos pais mas os filhos ficam confiados a uma instituição."
Muitas vezes, os conflitos familiares resultam de uma história de vida baseada num ambiente conflituoso. "As crianças foram criadas entre os conflitos dos pais, às vezes cresceram com base na chantagem de um e outro. Quando estes os querem controlar, já não conseguem. É um ciclo vicioso."



in DN, 12-10-10, por Rita Carvalho

sábado, 9 de outubro de 2010

Prémios Nobel 2010


Prémio Nobel da Química

O Prémio Nobel da Química 2010 foi atribuído ao americano Richard F. Heck e aos japoneses Ei-ichi Negishi e Akira Suzuki pelo trabalho desenvolvido na área da síntese orgânica, mais concretamente em formas, mais eficientes, de ligações entre átomos de carbono, que é utilizada na produção farmacêutica e de moléculas utilizadas na indústria electrónica.
O norte-americano Heck, de 79 anos, e os japoneses Negishi, 75, e Suzuki, 80 anos receberam 10 milhões de coroas suecas, cerca de 1 milhão de euros, por terem descoberto uma substância conhecida como discodermolida, um importante inibidor tumoral, que só pode ser encontrado, actualmente, na natureza em pequenos animais marinhos. Essa substância vai ajudar na fabricação de medicamento para doenças cancerígenas.

Prémio Nobel da Física

O Prémio Nobel da Física 2010 foi atribuído aos pesquisadores russos Andrei Geim e Konstantin Novoselov, da Universidade de Manchester, Reino Unido, pela de descoberta do grafeno.
O grafeno, composto por átomos de carbono densamente agrupados numa malha cristalina com o formato de favos de mel, é o material mais forte e ao mesmo tempo mais fino descoberto até o momento. O grafeno foi utilizado para criação de novos materiais e ao favorito de electrónica inovadora. Os transístores do grafeno são considerados mais rápidos em relação aos do silício, o que permite fabricar produtos electrónicos mais eficientes.
Andrei Geim, nasceu em 1958 em Sochi, na Rússia, tendo dupla nacionalidade, russo e holandesa. Concluiu o doutoramento em Ciências Físicas em 1987, na Academia de Ciências de Chernogolovka. Konstantin Novoselov nasceu em 1974, em Nizhny Tagil, na Rússia, e tem dupla nacionalidade, é britânico e russo. Desempenhou funções de docente na Universidade de Nijmegen, na Holanda.


Prémio Nobel da Literatura

O Prémio Nobel da Literatura 2010 foi atribuído ao escritor peruano Mario Vargas Llosa, pela cartografia das estruturas de poder e pelas suas imagens mordazes da resistência, revolta e derrota dos indivíduos das suas obras.
Mario Vargas Llosa, nascido a 28 de Março de 1936, é licenciado em Letras e Direito.

Obras de Mario Vargas Llosa publicadas em Portugal: A guerra do fim do mundo; História de Mayta; A cidade e os cães; Quem matou Palomino Molero?; Elogio da madrasta; O falador; A tia Júlia e o escrevedor; Pantaleão e as visitadoras; Conversa na catedral; Como peixe na água: memórias; Lituma nos Andes; A guerra do fim do mundo; Cadernos de Dom Rigoberto;
Cartas a um jovem romancista; A festa do chibo; A guerra do fim do mundo; A casa verde; O paraíso na outra esquina; A tia Júlia e o escrevedor; Travessuras da menina má; Israel Palestina: paz ou Guerra Santa; Diário do Iraque.

Prémio Nobel da Medicina

O Prémio Nobel da Medicina 2010 foi entregue ao embriologista Robert Edwards pelo trabalho realizado em prol da fertilização in vitro.
Robert Edwards foi investigador na Universidade de Cambridge e trabalhou no desenvolvimento da fertilização in vitro, que permitiu a milhões de casais terem filhos. A técnica desenvolvida por Robert Edwards permite fertilizar os óvulos fora do corpo e depois recolocá-los no útero da mulher. A fertilização in vitro esteve na origem do nascimento, em 1978, do primeiro “bebé-proveta”, a britânica Louise Joy Brown, a 25 de Julho de 1978.
Prémio Nobel da Paz

O Prémio Nobel da Paz 2010 foi atribuído ao chinês Liu Xiaobo. Liu Xiaobo é poeta e professor de literatura e foi condenado à prisão por assinar um protesto em prol da reforma democrática na China.
Liu está preso, tendo sido condenado a 11 anos de prisão em 2009, por ter incentivado, em 2008, uma manifestação contra o Estado Chinês, defendendo a liberdade de expressão e democracia na China.

"Liu Xiaobo foi distinguido pela sua luta longa e não violenta pelos direitos fundamentais da China", justificou o comité, que é composto por cinco pessoas escolhidas pelo Parlamento norueguês.

informação e imagens da internet

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

"Foste tu, minha amada, que me alumiaste o mundo*"

O mote foi um excerto da "Segunda Carta a Clara*", de Eça de Queirós, em nome de Fradique Mendes, publicado no manual Livres Para Amar, do 8º ano.

Neste contexto, os alunos do 8ºB deram asas à imaginação e surgiram textos belíssimos à amada ou amado, também eles carregados de sentimentos! Ficam alguns exemplos...

Por ti, posso dizer o que não devo,
ter pensamentos que nunca pensei,
dizer palavras que nunca disse.
De tanto te amar,
tenho medo de viver
neste pequeno terreno de ilusões.
Amo-te!
Stéphanie M.

Olá, queridinha!
Tenho muitas saudades tuas. Quando é que voltas?
Sinto a tua falta,
falta do teu cheiro de perfume de rosas,
falta dos teus olhos, do teu sorriso,
de tudo o que é teu...
fazes-me muita falta...
Beijinhos, do teu amor.
Bruno S.

Na rua um anjo toca flauta
a sua melodia desce sobre a tua almofada
e embala-te, dizendo baixinho "Adoro-te".
Se eu fosse um anjo,
vivia para te guardar,
mas como sou um humano,
vivo para te amar.
O que eu fiz por ti
nada me arrependo.
Lutarei sempre, porque,
sem ti, não sei viver:
quero-te até morrer.
Inês B. e Adriana S.

A distância é tanta, meu amor, mas eu amo-te na mesma, pois o amor supera tudo.
Só penso no dia em que vamos poder estar juntos, um ao lado do outro, em que vamos beijar-nos.
Amo-te como nunca amei ninguém; amo-te e vou amar-te sempre...
És a minha razão de viver!
Beijo da tua menina pequenina,
Ana Luísa M.

És linda
como as rosas do meu jardim
Por ti fazia tudo
És muito importante para mim.
Se eu conseguisse explicar
já te tinha dito
mas o que sinto
é algo muito infinito.
Desde o dia em que te conheci,
fiquei "apanhadinho",
eu amo-te muito, a ti!
O teu cheiro, o teu brilho, a tua beldade,
os teus cabelos, os teus lábios, o teu corpo,
são algo que me atrai a ti, mas não é só...
Ai, a tua simpatia...
Bem, gosto de ti por tudo!
És a responsável pela minha alegria!
E com estas palavras me despeço.
E espero, sinceramente,
ter conseguido o teu regresso!
Amo-te, minha querida!
Luís P.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Dia 1 de Outubro: efemérides

Hoje, comemora-se:
1) O Dia Mundial da Música

2) Dia Internacional do Idoso

3) Dia Nacional da Água

Clica na imagem

Clica na imagem
Fotos do Mundo

Testa a tua memória

Faz o teu presépio

Faz a tua árvore

Jogo Poluição das Águas

Jogo Eco-Cidade

Jogo Gesto Inteligente Transportes

Joga connosco e aprende!

Jogo interativo em Espanhol

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Jogo "Ser Pessoa"

Os perigos do tabaco

Os perigos do tabaco
Clica, joga e aprende...

Religiões do mundo

Religiões do mundo
Jogo - Para saber mais